Certas pessoas, em especial algumas mulheres, logo depois uma intimidade erótica “casual”, rapidamente estabelecem um forte elo sentimental.

As pessoas que se ligam sentimentalmente muito rapidamente costumam fazê-lo sem prestar atenção ao que está acontecendo com seu interlocutor.

Quando uma pessoa se liga sentimentalmente à outra que não foi consultada e não pretendia isso, fica criada uma situação de difícil solução.

Aqueles que se ligam rápida e intensamente tendem a acreditar que o parceiro também esteja sentindo o mesmo: e isso não costuma ser verdade.

Os que se ligam dessa forma unilateral e sem consultar os sentimentos dos parceiros tendem a ser autoritários e exigentes de reciprocidade.

Os que exigem reciprocidade se tornam bastante inconvenientes e desagradáveis, afastando quem lhes interessa ao invés de atrair e encantar.

Os que são “vítimas” desse tipo de assédio sentimental costumam se sentir ameaçados e, dependendo do temperamento, reagem de modo bem hostil.

As pessoas que “amam depressa e demais” costumam ter grande dificuldade de romper elos: se ligam depressa e se separam com enorme lentidão!

Elos saudáveis se constituem bem mais devagar: cada um vai sentindo o encantamento e prestando atenção para ver se está sendo correspondido.

Texto de Flávio Gikovate

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.