Marie é uma jovem francesa que sofre de uma doença degenerativa que aos poucos vai causando cegueira e surdez total. Mas ela decidiu viver o presente e saiu em viagem para conhecer as paisagens e cheiros de todos os cantos do mundo. Depois de 3 anos viajando com o companheiro, a aventura ainda não tem data para terminar.

Esta linda história que vamos contar a seguir vem da França e é protagonizada por Marie, uma mulher jovem e cheia de vida que vislumbra um dos desafios mais difíceis de sua existência: viver sem dois de seus sentidos.

Acontece que a menina, nascida em Autun , uma comuna na França, sofre da síndrome de Usher, uma doença que causa perda progressiva da visão e da audição. Ela foi diagnosticada quando era criança e sempre teve certeza de que perderia os sentidos em algum momento de sua vida, então decidiu aproveitá-los ao máximo antes de se despedir deles.

Marie, que usa aparelhos auditivos e óculos desde os 5 anos de idade, queria conhecer o mundo e saiu há três anos para uma viagem inesquecível com Corentin , seu parceiro. Cada cantinho do mundo será explorado por esses dois!

A menina e o namorado se conheceram em Quebec, no Canadá, quando os dois moravam lá, e economizaram dez anos para poder fazer a viagem. Eles venderam todos os seus pertences e compraram um caminhão que equiparam para uso como uma casa; naquele minuto, os amantes começaram sua aventura.

Facebook: Sourires Autour du Monde

O ritmo tem sido frenético: eles começaram a viagem em junho de 2018 e, desde então, Marie e Corentin já visitaram 25 países , incluindo Japão, Finlândia, Filipinas, Emirados Árabes Unidos e Estados Unidos, entre outros. A motivação? Aproveite enquanto há tempo.

“Não é natural adiarmos os nossos planos para as férias ou para a reforma (…). Acrescenta-se que, a nível pessoal, a evolução incerta da minha doença reforça aquela tendência natural de viver no presente.”, conta Marie à ‘France 3’.

Facebook: Sourires Autour du Monde

É claro que a pandemia também teve consequências nos planos do casal: os dois estavam no Canadá e planejavam ir de carro à Patagônia, mas em março do ano passado decidiram voltar à França e esperar que a situação se acalmasse.

Aproveitaram também para voltar seis meses depois ao Canadá para equipar novamente o caminhão. Desde então, eles estão esperando impacientemente para recomeçar suas aventuras.

O mais bonito de tudo é a calma e a esperança com que Marie encara o seu futuro. Ela sabe que mais tarde terá muitos impedimentos que a farão trabalhar de uma forma diferente, por isso fez uso extensivo do clichê de “aproveitar o presente o máximo possível“, usando-o como uma desculpa muito válida para sair e viajar o mundo.

Facebook: Sourires Autour du Monde

Com informações de UPSOCL

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







Ana, 20 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui matérias que são boas de se ler.