Ei, o melhor ainda está por vir

Logo mais o melhor chegará com seu trote manso. Com seu cheiro de laranja lima.

Vanelli Doratioto

Um dia minha filha pequena me propôs uma brincadeira. Nela imaginaríamos duas opções para várias situações hipotéticas. De pronto, eu em minha mente adulta, imaginei que ela me daria uma opção boa e uma ruim. Então ela começou a brincadeira imaginando uma coisa boa e outra ainda melhor. As opções sempre eram entre algo maravilhoso e algo ainda mais maravilhoso.

Senti naquele instante um baque mental. Não havia uma opção ruim. Na cabeça dela existia apenas o bom e o melhor. Admiti para mim mesma que minha “adultice” tinha delimitado meu poder de sonhar alto. Minhas asas, que na infância alçavam voos primorosos, tinham sido aparadas e eu nem mesmo havia me dado conta disso.

Então naquela brincadeira minha mente respirou fundo. Meus olhos brilharam ao tocar o bom e o melhor com meu querer mais gentil. Eu poderia ser feliz ou muito feliz. Eu poderia ser amada ou muito amada. Eu poderia viver bem ou muito bem.

No fim do ano passado um amigo pegou em minhas mãos e leu nelas a previsão de um futuro primoroso. Ele leu o bom e o melhor em meus caminhos. E eu lembrei da brincadeira com minha filha, em como foi bom e difícil ao mesmo tempo imaginar o que era maravilhosamente bom.

“Moça, o melhor ainda está por vir”, ele me disse sorrindo na certeza de que o futuro me abraçaria terno. Ele leu meus sonhos nas linhas das minhas mãos. Disse tudo aquilo que meu coração gostaria de ouvir. Meu amigo falou-me do melhor e eu agora me pego em frente ao espelho buscando com a mente algo que eu possa vestir a fim de estar bonita para quando esse melhor chegar.

E eu me pego nesse quarto, em busca da roupa ideal para o dia que virá. Para o dia no qual meus sonhos baterão em minha porta e me tirarão para dançar. Eu hoje me preparo para estar à altura dos meus sonhos e desejos mais profundos amanhã.

Logo mais o melhor chegará com seu trote manso. Com seu cheiro de laranja lima. Amanhã o melhor virá com novas promessas e com gosto de vinho tinto e suor. E eu que nem gosto muito de me arrumar, estou me arrumando ansiosa. E eu que já passei do tempo de amar, estou me trocando para um primeiro encontro. Estou me vestindo para a primeira vez em que serei tocada, sem ressalvas, pelo que é bom. E falta tão pouco.

Hoje meus olhos estão mais azuis. Neles há um mar de emoções. Hoje minha boca está mais ardente. Dela saem preces de gratidão. Hoje deixei meu cabelo brincar com a maresia dos desejos meus. Hoje o bom e o melhor estão vivos em mim. Hoje a fé em Deus e na vida me contam do amanhã que será bom ou ótimo. Hoje eu sei. E eu me preparei a vida inteira para saber.

O melhor está por vir. E eu estou finalmente pronta para ele.

***

Acompanhe a autora no Facebook pela sua comunidade Vanelli Doratioto – Alcova Moderna.

Atribuição da imagem: unsplash.com – CC0 Public Domain

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Vanelli Doratioto
Vanelli Doratioto é uma escritora paulista, amante de museus, livros e pinturas que se deixa encantar facilmente pelo que há de mais genuíno nas pessoas. Ela acredita que palavras são mágicas, que através delas pode trazer pessoas, conceitos e lugares para bem pertinho do coração.