Egito proibirá passeios de camelo para visitar as pirâmides. O abuso não será mais uma tradição

Camelos e cavalos eram usados ​​para passeios turísticos nos principais pontos turísticos do Egito, onde além de sofrerem com o calor escaldante, a falta de acesso a comida, água e sombra, também eram vítimas de agressões. Mas isso esta prestes a ter fim!

CONTI outra

Boas notícias foram recebidas pelos amantes dos animais na África, mais precisamente no Egito. A autoridade responsável pelo bem-estar de muitos seres vivos que costumam receber e transportar visitantes, anunciou uma medida que visa protegê-los de abusos. Já o Ministério do Turismo egípcio se pronunciou a favor dos cuidados com os animais e está planejando proibir os passeios de camelo e cavalo em Gizé, perto das pirâmides e outros sítios arqueológicos muito típicos da região.

A medida foi festejada por muitos, pois camelos e cavalos eram usados ​​para passeios turísticos nos principais pontos turísticos do Egito, onde além de sofrerem com o calor escaldante, a falta de acesso a comida, água e sombra, também eram vítimas de agressões, lesões causadas pela infraestrutura do setor e outras formas de maus-tratos. Uma conquista que, acima de tudo, foi muito aplaudida pela PETA Ásia, organização que zela pelos direitos dos animais, que durante um ano fez campanha contra os terríveis abusos sofridos por esses seres vivos.

A PETA descobriu em investigações camelos, cavalos e burros que foram obrigados a transportar visitantes no Egito, foram vítimas de escorregões, quedas e golpes com aqueles que queriam que continuassem caminhando além do ponto de exaustã . Por exemplo, um trabalhador foi filmado enquanto chicoteava impiedosamente um cavalo caído na rua.

Além disso, muitos dos camelos usados ​​para passeios em sítios arqueológicos são comprados no mercado de camelos de Birqash, onde são brutalmente agredidos. Como resultado dessa investigação, foram presos três traficantes de camelos que, além de multados, correm o risco de uma pena de prisão de até seis meses

A PETA Ásia conseguiu convocar quase meio milhão de pessoas que enviaram cartas ao Ministério de Turismo e Antiguidades egípcio para impedir esses maus-tratos. TRepresentantes da organização também se reuniram com funcionários do governo para acabar com esse abuso contra camelos, cavalos e burros. Esse avanço hoje é comemorado por muitos e permitirá a substituição desses animais por ônibus e outros veículos elétricos.

***
Redação Conti Outra, com informações de UPSOCL.
Fotos: Reprodução.

CONTI outra – Home

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.