Ela já não podia mais sorrir. Ele já não conseguia mais comer. Situações que reconhecemos, mas que ignoramos. Não por maldade, acredito. Mas por um desconhecimento dos reais problemas que o outro esteja passando. A mente funciona através de percepções. Como definir os significados recebidos por alguém que sofre depressão? A Ciência ajuda a explicar, sem dúvida. Remédios auxiliam nesse momento, também. Ainda assim, a depressão é um estado sem data de expiração. Lidar com isso, as pessoas ao redor de quem sofre, não é tarefa fácil. Talvez seja esse um dos obstáculos para enxergar além. Visualizar o cuidado, a paciência e o afeto com os olhos de uma tarefa, uma missão. Quem sabe, por ventura, a aproximação não devesse acontecer pelos moldes do amor simples. Do fazer por querer fazer. Do estar por querer estar. Porque a dificuldade em fazer a vida ser mais vida para alguém próximo acometido pela depressão, não é como lançar dados ou colocá-la de frente com frases inspiradoras sobre as belezas da vida. Amar de dentro pra fora é uma sentença quase que ausente para essas pessoas.

Na vida, sobrevivemos. Para acordar pela manhã, trabalhar, estudar, construir algo significativo e tantos outros desejos oriundos da cartilha social que nos é passada. Mas, cultivar a sensibilidade de fazer dos dias um algo mais, tateável e zeloso, não se aprende em páginas, bulas e anúncios. Viver inclui experiências. Um punhado das mais legítimas sensações. Não por acaso, tudo começa com um abraço. O amor por quem vê o céu cinza quando, na verdade, ele está azul. Atribuir culpa, deficiência e qualquer outro mal por discordar da maioria, simplesmente impede o coração daqueles que muito sentem e que não conseguem expressar. Angústias, medos e confusões expostas em lágrimas constantes. No desejo de não ter desejos. E de todas as formas possíveis de seguir em frente, amar de fora para dentro é fundamental. Nutrir, dia após dia, momentos simbólicos do sentir sem prerrogativa. Do carinho sem cobrar os 10% na saída. Mostrar para quem carrega a depressão nos ombros, o quanto você pode derramar de ajuda sobre ela. Pode ser um amor para poucos fazerem isso, gratuitamente, mas certamente é amar demais para elas.

Depressão é uma cura sem doença e uma doença sem cura. Todavia, a cada instante de amar, talvez ela sorria. Talvez ele volte a comer. De qualquer forma, todos somos capazes. Todos somos livres para vivermos. Amar de fora para dentro é indolor e não precisa de receita. Primeiro, você abraça. Depois, apenas exista. Amem-se.

“Não desista de quem desistiu
Do amor que move tudo aqui…”

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







"Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro"