Depois do início da quarentena os coelhos voltam para os parques e jardins em Milão.

No meio do clima de medo e tristeza em que temos vivido, as imagens destes animais felizes é uma corrente de ar fresco.

Ana Carolina Conti Cenciani

Em todas as partes da Itália, depois da quarentena e da pausa do fluxo de pessoas, um fenômeno curioso passou a ocorrer: os animais e a natureza em geral parecem recuperar rapidamente seus espaços, aqueles que havíamos ocupado com nossa densidade populacional.

As cidades que antes eram cheias de turistas e pessoas de todo o mundo, agora são vazias, portanto possuem ambientes calmos para a vida dos animais. Golfinhos ressurgiram perto do porto de Cagliari, as águas de Veneza ficaram límpidas pela primeira vez em muitos anos por causa do colapso do tráfego marítimo, e na cidade Sabrina Baronio, em Milão, os coelhos voltaram aos parques e canteiros para pastar serenamente.

Os coelhos sempre estiveram presentes, mas viviam escondidos e só saíam ao entardecer ou bem cedo de manhã. Atualmente, estão aproveitando a ausência das pessoas e ocupando o espaço com muita tranquilidade.

Por ser primavera -sua estação de reprodução- os coelhos estão mais ativos do que nunca. Além disso, como o fluxo de pessoas foi interrompido a grama está crescendo em maior velocidade, então o alimento dos bichinhos está abundante. No meio do clima de medo e tristeza em que temos vivido, as imagens destes animais felizes é uma corrente de ar fresco.

Com informações de Pequenas Coisas

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.