Cuidado com a dieta emocional, ela faz você desejar porcarias

Esteja saciada com a sua própria presença, só assim você vai ter paciência e sabedoria para saber a diferença entre uma porcaria e um amor de verdade.

Vanelli Doratioto

Certa vez um rapaz americano cuja família proibiu que ele tomasse um conhecido refrigerante durante toda sua infância e adolescência, entrou na universidade e lá se entuchou de refrigerante. Logicamente isso não lhe fez nada bem, mas a vontade foi tão grande que ele acabou exagerando e prejudicando a própria saúde.

Saindo do mundo dos refrigerantes, vulgo porcarias deliciosas, e seguindo para o terreno das relações amorosas, é muito, mas muito comum que uma mulher ao decidir que não quer mais sofrer com caras que não prestam e, ficando um longo tempo sem qualquer tipo de relacionamento, um dia, assim sem querer, acabe caindo no colo de um outro cara que também não vale nada. A razão disso é que a dieta emocional acaba alimentando nosso desejo por porcarias.

Aquela velha ideia de que não devemos fazer mercado com fome também se aplica para as relações amorosas. Sair de casa carente é como dar um tiro no próprio pé. A carência transforma sapo em príncipe fácil, fácil.


Para evitar essas recaídas desastrosas é preciso se conhecer pro-fun-da-men-te. Ou seja, praticar o autoamor diariamente e pensar com carinho e respeito em tudo que a gente gosta e não gosta. Só assim paramos de moldar nossas vontades às vontades dos outros.

Lembra do filme Comer, Rezar, Amar no qual Liz encontra um novo parceiro após o fim do casamento? Um amigo comenta que ela está mimetizando o seu par amoroso, inclusive se vestindo como ele. Liz ainda não tinha entendido quem ela realmente era. Ela precisou viajar para dentro e para fora dela para se conhecer com propriedade. Por fim ela entendeu o que todas deveríamos entender mais cedo ou mais tarde: somos capazes de coisas maravilhosas sozinhas. E logicamente também somos capazes de coisas maravilhosas com alguém.

Experimente-se, você vai se deslumbrar com seu próprio gosto. Recuse os convites que são furadas. Frequente lugares que tenham a ver com você. Pratique esportes que falem da sua essência. Escolha roupas que contem da pessoa que está por baixo delas.
Seja absolutamente sincera com você e com o outro. Amplie seus horizontes. Abra seus braços e permita-se amar a vida e ser amada por ela.

Coma chocolate quando tiver vontade. Dance quando quiser. Assista filmes ousados quando der na telha. Não se abandone ao se juntar a um outro. Não sacrifique a si mesma por um amor qualquer. Todo sacrifício é um grande peso para qualquer relação amorosa.

Olhe-se com atenção. Amadureça a ideia que faz de si mesma. Mulheres jovens são encantadoras. Mulheres maduras são deliciosas. Cada fase da vida tem a sua beleza. Saiba o que você quer. Recuse o que não te parece bom. Esteja saciada com a sua própria presença, só assim você vai ter paciência e sabedoria para saber a diferença entre uma porcaria e um amor de verdade.

***

Acompanhe a autora Vanelli Doratioto em Alcova Moderna

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Vanelli Doratioto
Vanelli Doratioto é especialista em Neurociências e Comportamento. Escritora paulista, amante de museus, livros e pinturas que se deixa encantar facilmente pelo que há de mais genuíno nas pessoas. Ela acredita que palavras são mágicas, que através delas pode trazer pessoas, conceitos e lugares para bem pertinho do coração.