Conheçam o Borzoi! Um gigante russo educado e gentil.

Com a Copa da Rússia chegando, os curiosos de plantão vasculham por todos os cantos da internet sobre os hábitos russos. Vemos fotos do país, costumes, culinária e todo um arsenal oriundo desse continente tão peculiar. Aproveitando o ensejo, vamos destrinchar um pouco sobre uma raça canina de porte e coração gigantes, que é uma paixão dos “cossacos”. Há quem não goste muito de sua característica longilínea, focinho comprido e corpo magro, porém esse russinho arrasa corações com trejeitos elegantes, aristocráticos e sua infinita sensibilidade.

O Borzoi é do grupo dos Galgos, não é uma raça muito comum no Brasil, tendo poucos canis que registram filhotes. De origem russa, eram cães que acompanhavam Czares em suas caçadas, sendo um exímio caçador, foram animais adorados pela aristocracia russa desde o século 13. O principal foco naquela época eram as lebres, embora os Borzois também caçassem lobos, dando origem ao nome Wolfhound Russo, nome pelo qual também é conhecido. Dentro dos aposentos, de uma educação exemplar, fora deles, um incansável corredor. Em muitos países podemos ver corridas de Borzois, muito apreciadas por seus espectadores.

Extremamente elegante, apesar de seu tamanho enorme, participavam de filmes ao lado de grandes estrelas do cinema. Borzois são cães naturalmente educados e gentis, com uma expressão doce e serena, parecem enxergar além de seus olhos, podendo sentir o que não conseguimos perceber. São cães que se adaptam bem em apartamento, possuindo um intrigante senso de espaço, inclusive de seu tamanho, ou seja, não trombam nas coisas e pessoas, não derrubam objetos na casa e não são destrutivos. É um cachorro calmo e sensível, perfeito para pessoas mais discretas e que preferem animais pacatos. Um Borzoi facilmente dorme umas 20 horas por dia, intercalando seus cochilos. Não costumam acatar comandos com tanta velocidade, contudo, aprendem todas as normas da casa respeitando sua família humana com uma lealdade incrível.

Por ter um instinto mais apurado e um certo ar primitivo, aconselha-se passeios na guia, pois adoram correr em lugares abertos, sendo somente indicado a soltura em terrenos cercados. Um Borzoi devidamente socializado desde filhote, se dá bem com todos os animais, crianças e até estranhos. Dificilmente um russinho desses irá morder ou ser hostil com outras pessoas, porém, deve ser tratado com gentileza e carinho, pois são cães com uma fragilidade emocional fascinante. Caso estejam incomodados, apenas se retiram do ambiente procurando algum lugar sossegado para se esticarem.

Decerto o Borzoi não é um cão indicado para todos. Quem prefere deixar um cão somente no quintal ou sítio, não tem tempo ou uma rotina adequada, melhor procurar uma raça mais rústica, robusta e adaptável a ambientes externos, porque esse Galgo russo do qual falamos, ama uma almofada bem macia e passar horas ao lado de seus donos em um aconchegante lugar dentro de casa.

Imagem de capa: Arquivo pessoal da autora

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Júlia Guglinski
Treinadora e comportamentalista de cães. Atriz de teatro, cantora e compositora.

COMENTÁRIOS