Imagem de capa: Pixabay

O Peru mais uma vez deve surpreender o mundo no quesito alimentação. O país está apresentando no seu pavilhão na Expo Dubai 2020, além de muitas das suas antigas histórias e tradições, uma oferta exportável de superalimentos peruanos que se destacam por suas ótimas propriedades nutricionais e benefícios para a saúde.

A exposição, que acontece no período de 01 de outubro de 2021 até 31 de março de 2022 na cidade de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, teve sua data adiada por conta da pandemia da Covid-19, por isso mantém o nome “Expo 2020”.

Os representantes do Peru estão mostrando ao mundo que o país pode ser considerado a despensa do planeta – seus ricos produtos já vinham experimentando uma demanda crescente em muitos países – mas graças a este megaevento mundial certamente conquistarão novos mercados.

O pavilhão peruano na Expo Dubai abriga as melhores amostras culturais e produtos originários das 25 regiões do país. Entre seus produtos de destaque estão espécies nativas que, por suas ótimas propriedades nutricionais, são chamadas de superalimentos.

Superalimentos peruanos

Maca peruana

A maca, raiz milenar nativa do Peru, está obtendo crescimento médio na demanda acima de 35% ao ano. A maca tem um perfil nutricional semelhante ao dos cereais, com 60% de carboidratos; 10% de proteína; 8,5% de fibra e 2,2% de gordura. Contém ácido linolênico, palmítico e oleico, além de moléculas orgânicas que auxiliam na redução do colesterol e de doenças cardiovasculares. Processada no Peru e muito procurada como suplemento nutricional e alimento funcional, é comercializada em outros países na forma desidratada em pó ou como maca peruana em cápsulas.

Este tubérculo andino também contém vitaminas do complexo B, como B1 e B2; vitamina C e E. Seu consumo contribui para estabilizar a pressão arterial, além de regular e aumentar a função do sistema endócrino, produzindo hormônios necessários às funções corporais e metabólicas, como fertilidade, funções sexuais, digestivas, cerebrais e fisiológicas do sistema nervoso.

Quinoa

A Quinoa é um grão de alto valor nutritivo, rico em proteínas, ácidos graxos insaturados e minerais. Devido ao seu teor de fibras, superior a 6% do peso do grão, favorece o trânsito intestinal, estimula o desenvolvimento de bactérias benéficas e ajuda a prevenir o câncer de cólon. É um alimento sem glúten, indicado para celíacos ou pessoas que não podem consumir trigo e seus derivados.

Amaranto

Também conhecido como kiwicha, o amaranto era o alimento por excelência dos Incas, pelas suas propriedades nutricionais e medicinais. Possui alto valor em proteínas e minerais como cálcio, fósforo, potássio, zinco, entre outros. Seu alto teor de aminoácidos, principalmente lisina, favorece o desenvolvimento do cérebro. Além disso, pode ser consumido por gestantes e bebês, fornecendo cálcio, fósforo e ferro, tanto para dentes, ossos e sangue.

Cañihua

No planalto peruano, onde poucas plantações prosperam devido às geadas e secas, o cañihua cresce em todo o seu esplendor, com cores quentes como escarlate, lilás e esmeralda que contrastam com o clima. Dentre suas propriedades nutricionais, destaca-se o alto teor de proteínas, podendo ser utilizado em dietas com pouca carne. É particularmente rico em aminoácidos como lisina, isoleucina e triptofano. Contém também vitaminas do complexo B e vitamina E. A Cañihua ajuda a reduzir o colesterol e previne doenças cardiovasculares. Seus grãos não contêm glúten.

Sacha Inchi

Também conhecida como amendoim Inca ou amendoim da montanha, essa oleaginosa nativa da Amazônia peruana possui nas suas sementes uma das mais importantes fontes de ômega 3, 6 e 9 do mundo, acima dos chamados peixes azuis. O óleo extraído é de qualidade extraordinária, com propriedades nutricionais que incluem neutralizar problemas de intestino irritável e gordura no fígado. Sacha Inchi favorece a redução do colesterol ruim (LDL) e estimula o aumento do colesterol bom (HDL). Também reduz o nível de triglicérides, melhorando o fluxo sanguíneo e a pressão arterial.

Camu camu

Esta pequena fruta oval de superfície lisa, cor vermelha e centro ácido, contém alto índice de vitamina C, mesmo acima da contribuição de alimentos com alta concentração de ácido ascórbico, como laranja ou limão. Camu camu é um superalimento que fortalece o sistema imunológico, a pele e os olhos. Esta fruta favorece o colágeno, contribuindo para a formação correta de ossos, dentes, cartilagem, ligamentos, tendões e até vasos sanguíneos. Seus benefícios nutricionais incluem o fornecimento de carboidratos, vitaminas e minerais à dieta.

Chirimoya

Quando os espanhóis provaram esta fruta pela primeira vez chamaram-na “manjar blanco”, por aquele doce intenso semelhante ao da cana-de-açúcar. Áspera por fora e macia por dentro, esta pinha parece um fruto do calor tropical, como a banana ou o abacaxi, mas cresce a mais de 1.500 metros acima do nível do mar, nas encostas da Cordilheira dos Andes. A chirimoya fornece um alto valor energético à dieta devido ao seu teor de carboidratos. É rica em fibras, vitaminas do complexo B e potássio. É uma fonte adequada de vitamina C e atua como um poderoso antioxidante, protegendo as células da oxidação.

Yacon

Representada pelos oleiros da cultura Moche em seus potes de cerâmica como a origem da vida, essa batata andina de sabor doce foi uma parte vital do passado pré-colombiano. A ciência moderna reavaliou este tubérculo por seu alto teor de inulina, uma fibra alimentar que ajuda o corpo a metabolizar a glicose e reduzir os níveis de colesterol. A yacon – ou batata do diabético – é usada como adoçante não calórico. Seu consumo diário também diminui o nível de triglicerídeos no sangue e proporciona alívio de problemas gastrointestinais.

Alfarroba

A alfarroba é um super alimento que faz parte da história e da cultura gastronômica da região de Piura, ao norte do Peru. A raiz da alfarrobeira consegue atingir as águas do subsolo e a árvore chega a alcançar 20 metros de altura. De sabor doce e com muito valor nutritivo, as vagens são ricas em antioxidantes, fibras, glicose, frutose e sacarose. A alfarroba pode substituir o cacau e não contém glúten, sendo uma boa opção para quem tem doença celíaca ou algum tipo de intolerância alimentar.

O Peru ainda tem muitos outros produtos agroexportadores de destaque, como o café e o abacate, sendo um dos principais exportadores do mundo; o milho gigante (ou milho de Cusco); as mais de 3 mil variedades de batatas, incluindo as batatas nativas de cultivo orgânico com grande aceitação mundial; o próprio cacau e outras frutas como lucuma, fisális peruana, manga, tangerina, uva e as berries (mirtilos, framboesas e amoras silvestres).

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.