Foi por volta das 4 da manhã que Rodrigo Ípperi e Maillén Novoa dormiam pacificamente em casa quando foram surpreendidos pelo estado de susto de seu cão, um labrador preto, que estava desesperadamente tentando chamar a atenção dos donos enquanto tremia com olhos lacrimejantes. Algo estava errado.

Imediatamente pensaram que era que ele precisava sair para o quintal ou que talvez estivesse se sentindo mal, então os dois saíram para acompanhá-lo ao jardim, sem pensar que esse ato salvaria suas vidas.

Quando eles entraram novamente na casa, eles perceberam o que realmente estava acontecendo: um forte cheiro de gás atingiu-os no rosto, era o resultado de um vazamento maciço em um dos aquecedores. José Ignácio, o cachorro deles, já havia notado há muito tempo e estava apenas tentando alertá-los.

“Sentimos cansaço e fomos para a cama cedo, mas por volta das 4 da manhã o cachorro nos acordou muito assustado. Ele estava trêmulo, seus olhos lacrimejantes e, como se algo estivesse acontecendo com ele, ele fez um barulho estranho. Pensando que ele estava mal, o levamos para o pátio e quando fomos entrar em casa o cheiro de gás nos dominou. Abrimos tudo e ventilamos a casa, lembro que era uma manhã gelada, fazia zero graus”, contou Rodrigo.

Mas as surpresas não param por aí. No dia seguinte do ocorrido acordaram meio tontos e com muita dor de cabeça. Maillén, que estava no último período de gravidez, sentia-se apática. Até que ela começou a se sentir mal e foi levada para o hospital.

“Eles a examinaram e como ela estava com hipertensão, levaram-na para a Maternidade. E por volta das 21 horas nasceu Amanda”, conta Rodrigo emocionado. Se não fosse por José Ignácio a família poderia ter corrido riscos ainda maiores. O cãozinho não só salvou seus donos, mas também salvou a nova integrante da família. Um verdadeiro herói.

Sobre o motivo do vazamento, Rodrigo explicou que “a quantidade de gás que se perdeu foi impressionante, quando o operador do gás verificou não conseguia acreditar que estava vazando tanto gás. A verdade é que conseguimos nos salvar graças a José Ignácio, nosso cachorro, que soube reagir e nos acordar. Mas com certeza se ele não estivesse aqui, a história teria um final diferente”.

Finalmente a família feliz conseguiu regressar a casa, agora com a pequenina Amanda ao lado e com agradecimentos intermináveis ao seu cão: “Foi incrível, o instinto do cão de nos acordar, mesmo estando mal por conta do gás. Pode-se dizer que José Ignacio salvou quatro vidas, a nossa, a de Amandita e a própria”, conta o pai emocionado.

Sem dúvida, José Ignácio mostrou que faria qualquer coisa pela família! Aplausos para esse herói!

 

Com informações de UPSOCL

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







Ana, 20 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui matérias que são boas de se ler.