Como não perder uma mulher incrível!

Aquele texto que todas nós queríamos ter mandado para aquele idiota que não nos deu valor!

Já perdi as contas de quantas vezes ouvi garotas maravilhosas me dizerem que desistiram do amor, que não há homens a fim de compromisso por aí, que os homens andam por demais infantis ou que preferem ficar sozinhas a aturar outro relacionamento furado e frustrante.

Bem sei que a essas alturas já haverá uma porção de “caras legais” torcendo a boca ou o nariz para esse texto, e com os dedinhos já coçando para escrever um monte de impropérios nos comentários. Faz parte…

A verdade quando pega, atinge e faz sentido… dói. E eu sei que deve haver uma porção de homens de verdade perdidos por esse mundo, que também andam penando com relacionamentos que não dão em nada. É fato! Há também uma legião de mulheres que parecem ter congelado no tempo.

Desesperadas para impedir o passar dos anos, muitas mulheres acreditam de verdade que precisam deter o relógio; que precisam ter um par de seios perfeitos, uma barriga negativa, pele de porcelana, sobrancelhas definidas, cílios que parecem asas de borboleta, mais a boca da Angelina Jolie e sabe-se lá mais que outras modas podem ter surgido de ontem para hoje.

O problema. O grande problema é que uma mulher que de fato acredita que precisa disso tudo para ter afeto, para ser desejada, para ser feliz… reduz a sua vida a isso também. Cria-se uma ideia louca e facilmente comprada de que a nossa casca vale mais do que tudo nessa vida.

Puxa vida! Estaremos todos perdidos a procura de outros perdidos?!

Vamos mesmo continuar perpetuando essa ideia destruidora da perfeição do corpo, do cabelo, da curva da sobrancelha, do formato das unhas, em detrimento de uma alma legada a segundo plano?

Pois é… a questão é que eu também estou cansada de ver mulheres que se queixam por não terem sorte no amor, por não serem levadas a sério; e que, de forma contraditória, vendem uma imagem fútil e volátil postando fotos e vídeos; lives e stories de maneira quase compulsiva… Expondo ideias? Não!!!! Expondo o corpo esculpido na academia e submetido a baixas ingestões de carboidratos. Expondo a curva do seio perfeito entalhada pelo cirurgião plástico. Expõe-se a casca e busca-se a valorização da pessoa! Faz sentido? Nenhum!!!!

Queridos e queridas pessoas desiludidas desse mundo… Vamos acertar o passo? Vamos tentar, nem que seja um pouquinho, alinhar ação e discurso?

Porque tudo bem querer apenas se divertir e arrumar vários “crushes”. Há quem viva feliz assim… por um tempo ou pela vida toda. Vai de gosto, não é mesmo?!

Entretanto, fica imensamente difícil encontrar o amor dos sonhos, pulando de galho em galho, sem ter tempo de conhecer o outro.
Amor é iguaria, não é fast food!

Então… sabe aquela mulher incrível que foi perdida lá em cima no título? E sabe aquele idiota que a perdeu lá em cima no subtítulo? São apenas pessoas lindas, perdidas e iludidas, tentando encontrar o caminho.

Imagem de capa meramente ilustrativa: cena do filme “De repente é Amor”.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Ana Macarini
"Ana Macarini é Psicopedagoga e Mestre em Disfunções de Leitura e Escrita. Acredita que todas as palavras têm vida e, exatamente por isso, possuem a capacidade mágica de serem ressignificadas a partir dos olhos de quem as lê!"