Cientistas recriam voz de múmia egípcia de 3.000 anos usando impressora 3D

"A ideia de ir a um museu e sair ouvindo uma voz de 3.000 anos atrás é o tipo de coisa que as pessoas podem se lembrar por um longo tempo."

CONTI outra

Graças aos avanços surpreendentes na tecnologia de impressão 3D, os pesquisadores agora foram capazes de reconstruir o trato vocal de uma múmia egípcia antiga – permitindo que o mundo ouvisse sua voz pela primeira vez em 3.000 anos.

Como o New York Times noticiou, os arqueólogos ressuscitaram a voz de um padre egípcio chamado Nesyamun. Ele cantou louvores de adoração no templo de Karnak, em Tebas, recitando palavras para deuses egípcios como Nut, a antiga deusa dos céus.

Quando ele morreu, seu dom de melodia foi imortalizado em seu caixão com uma inscrição que dizia: “Nesyamun, a verdade da voz”. Mas como era exatamente a voz de Nesyamun? Os cientistas estavam ansiosos para descobrir.

Segundo um estudo publicado recentemente no Scientific Reports , uma equipe de pesquisadores na Inglaterra detalhou seus incríveis esforços para reconstruir a voz de Nesyamun depois de três milênios.

Seu objetivo básico era reconstruir seu trato vocal. Felizmente, a mumificação do padre cantor manteve sua garganta e boca praticamente intactas.

“O processo real de mumificação foi fundamental aqui”, explicou Joann Fletcher, egiptólogo da Universidade de York, Inglaterra, e co-autor do artigo. “A excelente qualidade de preservação alcançada pelos antigos embalsamadores fez com que o trato vocal de Nesyamun ainda estivesse em excelente forma”.

Usando um tomógrafo, a equipe de pesquisa examinou a múmia para produzir uma imagem em 3D do interior de sua garganta. As imagens foram impressas com uma impressora 3D e combinadas com uma laringe eletrônica para reconstruir “o som que sairia de seu trato vocal se ele estivesse em seu caixão e sua laringe ganhasse vida novamente”, segundo David Howard, cientista da fala no Royal Holloway em Londres.

O resultado é uma incrível ressurreição do trato vocal de Nesyamun. Até agora, a réplica de alta tecnologia produziu apenas um som – um tom obscuro que os cientistas dizem que se assemelha a uma vogal sonora de “ah” ou “eh”. Para alguns, o som pode não estar muito longe do barulho de uma vaca.

“Ele certamente não pode falar no momento”, disse Howard. “Mas acho perfeitamente plausível sugerir que um dia será possível produzir palavras o mais próximo possível de torná-las do que ele soaria”.

O pequeno clipe de áudio pode ser um pouco estranho, dependendo da sua perspectiva – mas, no entanto, a reconstrução de uma voz pertencente a uma pessoa que viveu milhares de anos atrás nunca foi feita antes dessa maneira específica. É um avanço muito importante tanto para a ciência, como para a história.

 

Com informações de Mystical Raven

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.