Recentemente, uma ciclista de 37 anos foi vítima de um episódio de assédio no município de Praia Grande (litoral de São Paulo). Ela estava pedalando, quando um homem se aproximou, também de bicicleta, e tocou o corpo dela.

Ao G1, a mulher relatou que, depois do episódio, decidiu não mais fazer o trajeto até o trabalho desacompanhada, temendo o risco de reencontrar o homem qua a assediu. Ela disse ainda que resolveu mudar sua aparência para não ser reconhecida pelo assediador.

A mulher, que preferiu não ser identificada, falou sobre seu sentimento em realção à agressão. “Isso é coisa que a gente nunca acha que vai acontecer, me senti invadida demais. O povo fala: ‘Ah, tem mulher que anda muito despida’, mas eu estava indo paro o meu trabalho, vem uma pessoa e achou que tem o direito de fazer aquilo comigo”, disse.

A ciclista se diz traumatizada e conta que não tem conseguido dormir direito desde que tudo aconteceu. Outra consequência do trauma é que ela tem levado sustos com aproximações repentinas.

“Acho que se eu estivesse um pouco mais para trás, não sei o que poderia ter acontecido comigo”, afirmou ao G1. “Não sei nem o que fazer. Estou com muito medo mesmo. Estou muito traumatizada”, finalizou.

O assédio vivido pela ciclista foi registrado por câmeras de segurança.

***
Redação Conti Outra, com informações de Yahoo.
Fotos: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.