Quem não se lembra de ter escrito uma cartinha ao Pai Noel pedindo os seus presentes de Natal? Para uma criança, acordar de manhã no dia 25 e ver o sonhado presente debaixo da árvore costuma ser um momento mágico. Entretanto, para muitas crianças, o Natal não costuma ser tão mágico, visto que a pobreza lhes tira o direito a desfrutar dessa alegria a que as crianças mais abastadas já estão acostumadas.

Bem, no que depender de Jim Glaub e Dylan Parker, cada vez mais crianças poderão sorrir na manhã do dia 25. Há dez anos eles têm se dedicado a ser os “ajudantes do Papai Noel” que se lembram das crianças que costumam ser esquecidas nessa data.

Jim e Dylan, que moram em Nova York, foram responsáveis ​​por responder a mais de 2.000 cartas endereçadas ao Papai Noel que chegaram por engano em sua casa, conforme revelado à rádio BBC 4. O mais incrível é que não se tratavam de pedidos de brinquedos, mas de alimentos e itens básicos.

A primeira vez que chegaram algumas cartas foi em 2010. O casal havia se mudado para o apartamento há pouco tempo e tinha sido avisado pelo antigo proprietário que às vezes algumas correspondências chegavam para aquele endereço por engano, mas eles não imaginavam que seriam tantas cartas.

Estupefatos com a quantidade, eles decidiram abrir um e ver o que as crianças estavam pedindo. Para a surpresa do casal, a maioria pediu comida, casacos, cobertores e itens básicos, deixando os dois nova-iorquinos extremamente comovidos.

A emoção foi tão grande que eles se sentiram obrigados a fazer algo, não podiam ficar de braços cruzados deixando essas crianças receberem um Natal não muito caloroso. Era uma emergência, eles não pediam brinquedos e sim algo com que sobreviver.

Jim e Dylan contataram seus amigos por meio de redes sociais para arrecadar dinheiro e trazer o que as crianças precisavam para suas casas como um presente do Papai Noel. Hoje, o que começou como uma iniciativa excepcional, vem se transformando em projeto ano após ano e eles querem até expandir para o Reino Unido, onde moraram por 2 anos.

Só em 2010 responderam cerca de 400 cartas. O casal conta que chegaram a brigar com o carteiro por ele acreditar que aquilo era uma brincadeira. Eram tantas cartas que já não cabiam mais na caixa do correio.

As crianças pediam de tudo nas cartas, desde fraldas para os irmãos menores até um teto para morar desde que perderam as mães.

Hoje Jim e Dylan se mudaram daquele apartamento, mas conseguiram que o novo inquilino os apoiasse com a missão das cartas caso chegassem, o que ainda acontece. Eles finalmente decidiram fundar uma organização sem fins lucrativos chamada “Miracle on 22nd Street” , encarregada de atender as crianças carentes que pedem ajuda.

Que iniciativa maravilhosa! Desejamos que este casal receba em dobro todo o bem que promovem.

***
Redação Conti Outra, com informações de UPSOCL.
Fotos: Facebook Jim Glaub e Dylan Parker.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.