Casal enriqueceu revendendo papel higiênico na pandemia

Eles sempre tiveram uma vida modesta, mas com a pandemia ficaram completamente sem renda. O último dinheiro que tinham apostaram na compra de papel higiênico para revenda. Mal sabiam eles que esse seria o maior acerto de suas vidas!

CONTI outra

Tentar viver em um país estrangeiro é sempre um desafio, mas se você adicionar uma família, filhos e o início de uma pandemia, o custo torna-se tão alto que pode derrubar qualquer pessoa. Apesar de todas as adversidades, alguns paraguaios lutaram por uma vida melhor na Argentina e conseguiram, vencendo todas as adversidades.

Monica e Gabriel Ovidio se mudaram para a Argentina há 16 anos. Sem muitas qualificações profissionais, eles conseguiram se estabelecer modestamente. Ela passou a trabalhar como cabeleireira e ele como motorista de ônibus escolar. Com 5 filhos para cuidar, o trabalho sempre foi essencial, mas no dia em que a pandemia chegou, eles enfrentaram dificuldades financeiras tão grandes que quase foram morar na rua.

Sem renda, não sobrou dinheiro para nada, nem para comida, nem para pagar o aluguel. Sobreviveram com um benefício que o governo argentino havia lhes dado, mas não seria suficiente para os 7.

Certo dia, Gabriel decidiu ir ao mercado comprar verduras e vendê-las de casa em casa com sua esposa, quando ao longe ela viu algo que mudaria suas vidas para sempre.

“O dinheiro era muito pouco, não dava para a gente de jeito nenhum. Então, tivemos uma queda tremenda. Naquele momento, de longe, comecei a observar um caminhão descarregando papel higiênico e disse ao meu marido ‘vamos vender papel. Fomos pedir e o dinheiro que tínhamos dava para 20 pacotes de uma marca bem barata”, contou Mónica Ovidio para Chronicle.

Para surpresa de ambos, os papéis higiênicos foram vendidos quase imediatamente, foi então que perceberam que havia um negócio a explorar. Durante a pandemia, quase tudo o que ganharam foi reinvestido em mais papel até que começaram a ter uma grande renda. Depois de meses difíceis, quase sem ter onde morar, a vida estava sorrindo para eles novamente.

Hoje, Mónica e Gabriel fundaram a sua própria “Casa de papel”, passando de revendedores a uma verdadeira distribuidora. Eles trabalham de segunda a segunda e têm ótimos clientes.

Com duas lojas para atender, o casal viu a luz em um caminho que estava escurecendo. Mesmo bem sucedidos, eles não se esquecem dos tempos difíceis, por isso, parte do dinheiro que ganham é usado para ajudar outros empreendedores a iniciarem seus negócios. Dizem que a ideia é se animar e nunca desistir.

***
Redaçao Conti Outra, com informações de UPSOCL.
Fotos: Crônica.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.