Esse caso aconteceu em São Vicente, no litoral de São Paulo. Roberto e Solange Ferreira tiveram uma surpresa bem desagradável: apenas três dias antes de sua festa de casamento, o casal descobriu que caiu em um golpe.

O dinheiro que eles haviam depositado durante o ano para uma assessora de eventos não seria usado com a cerimônia deles.

O problema foi descoberto quando a data do evento começou a se aproximar e a empresa Buffet Móvel Vifest, de Santos, parou de responder as mensagens e atender ligações.

Foto Pixabay

A assessora Viviane Viana de Jesus, que nega que agiu de má fé, deveria ter usado o dinheiro para contratar o buffet, espaço e fotógrafos, além de outros serviços.

A mulher afirma que a responsabilidade é de sua sócia, que pretende ressarcir todos. Outros clientes fizeram reclamações similares sobre a empresa, que não tem CNPJ.

De acordo com Roberto, de 51 anos, a representante da empresa era presente e comunicativa no início dos preparativos. Foram investidos cerca de R$ 2 mil na festa, em parcelas pagar entre maio e outubro deste ano.

Com o decorrer da história, a noiva ficou ainda mais preocupada quando percebeu que as páginas da empresa nas redes sociais haviam sido apagadas. A assessora teria dito que estava doente e por isso apagou as contas.

Quando o noivo conseguiu contato, três dias antes da festa, foi informado que o evento estava cancelado.

“Faltando três dias para o casamento, eu liguei para ela dizendo que estava preocupado com a situação”, relembra o noivo. “Ela disse que tinha tomado um golpe de uma sócia, e não tinha condições de realizar nosso casamento. Fiquei revoltado, e minha noiva desabou”, disse ao portal G1.

Por fim, o casal conseguiu realizar o evento no último sábado (18), depois que fizeram um empréstimo e contrataram um novo serviço. Mas acabaram gastando R$ 6,5 mil.

Ao menos quatro casais já registraram boletim de ocorrência por estelionato na Polícia Civil e outros esperam entrar com medidas judiciais.

A assessora respondeu ao G1, e disse que irá ressarcir os casais e que passou por situações complicadas na pandemia.

“Jamais, em momento algum, eu considero que algum cliente tenha sido lesado ou levou golpe, algo do tipo. Porque alguém que dá o golpe sequer estaria aqui para responder a alguém. Já estaria, à essa altura, sumido, fugido, coisa do tipo”, afirma. “E eu continuo aqui. Eu não vou fugir, não vou desistir”.

Com informações de Yahoo

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.