Cão deixado sozinho no carro “dirige” o veículo e provoca acidente

Duke nunca foi ensinado a dirigir, mas isso não o impediu de se arriscar no volante.

REDAÇÃO CONTI outra

Certa vez, os proprietários do cão Duke o deixaram sozinho por apenas um minuto na Mercedes-Benz S-Class de 2001. Pois esse único minuto foi o suficiente para que Duke subisse no banco do motorista e acidentalmente levasse o carro para passear.

O único problema é que o cão , por motivos óbvios, não conseguiu descobrir como parar o carro. Desta forma, ele saiu “dirigindo o carro” em alta velocidade, feito um piloto de Fórmula 1.

Janie e Jim Black, que são vizinhos dos cuidadores de Duke, assistiram à cena pela janela de sua casa na cidade de Aptos, Califórnia. O carro “dirigido’ pelo cão acabou colidiundo com um muro de contenção do lado de fora de sua casa, finalmente “parando” o veículo.

Quando os cuidadores de Duke saíram para examinar os danos, encontraram uma lata de lixo esmagada e um cachorro sorridente olhando para eles do para-brisa. A coleira de Duke, que estava presa ao seu pescoço, se enroscou na alavanca de câmbio, colocando o carro em ponto morto. Segundo as autoridades que atenderam à ocorrência, as coisas poderiam ter terminado tragicamente, mas aparentemente Duke é um cão de muita sorte!


Janie e Jim Black tiraram algumas fotos dos danos e do “motorista”, que não pareciam muito triste com o que fez.

Vale ressaltar que nenhum cachorro ou homem foi ferido no incidente; de toda forma, nunca é uma boa ideia deixar seu animal de estimação no carro sozinho. Eles podem sofrer insolação em um veículo, mesmo com as janelas abertas. Ou, como Duke, as coisas podem fugir rapidamente do controle.

***
Redação CONTI outra. Com informações de Portal Animal

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.