Cãezinhos ficam abraçados o tempo todo depois de serem resgatados

Ninguém solta a pata de ninguém! Esses adoráveis filhotes permanecem unidos mesmo depois do fim das muitas adversidades pelas quais passaram juntos enquanto viviam nas ruas. Família unida permanece unida.

REDAÇÃO CONTI outra

É triste constatar que ainda há quem naturalize o abandono de animais. Sem um lar que os proteja e um tutor que zele pelo seu bem-estar, esses animais ficam expostos ao frio, à fome e aos maus-tratos.

Esses dois adoráveis filhotes viveram a dura experiência do abandono, mas, ao contrário da grande maioria dos cães nessa mesma situação, tiveram a sorte de encontrar um lar disposto a acolhê-los. Enquanto estavam na rua, alguns monges budistas da China os resgataram e os levaram para seu templo.

A vivência nas ruas, entretanto, parece ter deixado marcas nos cãezinhos. Após serem salvos, os irmãos simplesmente não se desgrudam. A amizade entre eles é imensurável e passam a maior parte do tempo abraçados. Quem vê a cena, imagina que um ainda protege o outro frente a um desafio que acreditam estar por vir.

A foto dos filhotes foi parar nas redes sociais e rapidamente viralizou. Muitos internautas levam as mais incríveis hipóteses para justificar o comportamento dos cães.

“Os cães estão em um templo agora, então eles se sentam assim para imitar o modo como os monges fazem para meditar”, brincou um dos usuários de uma rede social.

O que sabemos é que, independentemente do motivo pelo qual esses dois irmãozinhos permanecem abraçados, eles merecem ser muito felizes e receber todo o carinho que seus novos tutores puderem oferecer.

***

Redação CONTI outra. Com informações de Revista Carpe DiemHistórias com Valor

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.