Cãezinhos fazem a guarda de trabalhador com deficiência que sofre assédio moral e roubo

O homem já foi alvo de roubos em mais de uma ocasião enquanto realiza seu trabalho. Mas desde que os cãezinhos passaram a fazer a sua guarda à noite, ninguém ousa mexer com ele.

CONTI outra

Um homem chamado Jagdeep Dhillon viralizou na internet recentemente ao compartilhar em suas redes sociais uma história comovente. Ele conta que, certa vez, estava fazendo uma corrida pelo seu bairro, quando se deparou com uma cena que chamou a sua atenção. Um profissional da limpeza urbana estava varrendo a rua acompanhado de dois cães de rua. Com cuidado, o corredor se aproximou do sujeito, que ainda estava varrendo, e perguntou se ele não tinha medo de que aqueles cães o atacassem. A resposta o surpreendeu.

“Eles nunca mordem o seu dono. Além disso, eles são um presente de Deus na minha vida. Eles cuidam de mim, porque sou deficiente”, disse o trabalhador, garantindo que são seus melhores aliados diante das muitas pessoas mal intencionadas que cruzam seu caminho.

O varredor de rua confessou a Dhillon que já teve seus materiais pessoais roubados várias vezes assim como sua cadeira de rodas. Disse ainda que normalmente as pessoas não o respeitam, mas desde que os peludos chegaram ao bairro, ele se sente protegido, pois seus amigos não pensam duas vezes antes de latir para qualquer um que tentar se aproximar dele violentamente.

Dhillon disse ao trabalhador que não sabia o motivo pelo qual que as pessoas do seu país, A Malásia, odeiam tanto os cães de rua. O trabalhador então respondeu-lhe que essas pessoas não sabem o que é o verdadeiro amor.

“Quando as luzes da rua se apagam à noite, os cães são os únicos que ficam ao meu lado e não me roubam”, explicou o homem. “São dádivas de Deus.”

Dhillon se despediu e voltou para casa para contar a história em suas redes, acrescentando uma pequena reflexão na qual diz que “tirar a vida de cães e gatos de rua nunca vai te tornar grande ou te dar uma entrada imediata no paraíso. Aprenda com esse cara.”

Sua publicação tem sido muito apreciada pelos malaios, que entendem que culturalmente devem fazer uma mudança nos padrões de respeito aos animais, pois às vezes são eles que ensinam mais humanidade do que muitas pessoas.

***
Redação Conti Outra, com informações de UPSOCL.
Fotos: Reprodução/Jagdeep Dhillon.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES




COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.