Bilionário que cresceu em cortiço pretende doar 80% de sua fortuna para caridade

Ele cresceu em um cortiço de Newark, New Jersey, construiu um império e acumulou uma fortuna de US $ 4,5 bilhões. Hoje ele está determinado a doar cerca de 80% do seu patrimônio para a caridade. "Tudo o que eu faço agora é procurar as causas certas para aplicar meu dinheiro e isso pode me dar um inestimável retorno emocional e trazer coisas boas para este mundo."

CONTI outra

Ele cresceu em um cortiço de Newark, New Jersey, e quando seus pais imigrantes russos não tinham dinheiro para mandá-lo para a faculdade de medicina, ele trabalhou para se tornar um farmacêutico. Mas, mais tarde, foi sua perspicácia nos negócios que o levou ao cargo de CEO de uma empresa de melhoria de casas na Califórnia. Quando ele foi demitido do trabalho em uma disputa de poder, ele não desistiu e voltou a ser farmacêutico – ele co-fundou uma loja que revolucionou a indústria de melhoramento de casas com seu conceito de armazém.

Agora, o co-fundador da The Home Depot diz que pretende doar a maior parte de sua fortuna para a caridade, depois de já doar quase dois bilhões de dólares para organizações filantrópicas em todo o mundo.

Quando o bilionário de Atlanta morrer, 80 a 90% do restante de sua riqueza será transferida para sua fundação.

Seu atual patrimônio estimado é de US $ 4,5 bilhões, e Bernie e sua esposa Billi Marcus são signatários do The Giving Pledge, juntamente com outros 200 – como Michael Bloomberg, Richard Branson e Elon Musk – uma coalizão de Bill Gates e Warren Buffet projetada para recrutar famílias ricas para destinar pelo menos metade de suas fortunas para caridade.

A Fundação Marcus, que não possui site próprio, concentra-se em cuidados a veteranos de guerra, pesquisas médicas, hospitais e causas judaicas. Bernie deu instruções ao conselho para investir em “descobertas médicas e tratamento para crianças com autismo (e) criando de 20 a 25 centros no seu país para ajudar os veteranos de guerra que sofrem de lesões cerebrais e estresse pós-traumático”.

Embora tenha 90 anos hoje, ele disse recentemente ao Atlanta Journal Constitution que se sente jovem e espera doar a maior parte de seu dinheiro enquanto estiver vivo para aproveitá-lo.

“Tudo o que eu faço agora é procurar as causas certas para aplicar meu dinheiro e isso pode me dar um inestimável retorno emocional e trazer coisas boas para este mundo.”

Em abril, Marcus doou US $ 25 milhões para o Centro de Autismo Marcus para liderar pesquisas sobre as causas e a cura do autismo, bem como problemas de alimentação conhecidos por afetar pacientes pediátricos com o distúrbio.

Em 2017, Marcus também financiou e fundou o Instituto Marcus for Brain Health com uma doação de US $ 38 milhões, uma instalação do Colorado dedicada ao tratamento intensivo e inovador de veteranos militares dos EUA que agora sofrem de estresse pós-traumático.

***
Tradução feita por Destaques Psicologias do Brasil, com base nas informações de GNN.
Foto destacada: Richard Drew/AP.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.