Ai Weiwei, de 63 anos, é um artista e dissidente chinês que criou uma reprodução de uma árvore tropical brasileira de 32 metros. O artista construiu a obra na Cidade do Porto, em Portugal, e a inaugurou nesta quinta-feira (22).

Weiwei contou que espera que sua obra de arte gere conscientização sobre as consequências devastadoras do desmatamento.

Foto: REUTERS/Violeta Santos Moura

O artesão esteve no Brasil há quatro anos, e passou a investigar as ameaças pelas quais as florestas passam. Sua curiosidade sobre o assunto aflorou-se quando ele se deparou com um pequi-vinagreiro, árvore ancestral ameaçada do gênero Caryocar, em Trancoso, na Bahia.

A curiosidade de Ai fez com que ele tivesse uma ideia: ele queria reproduzir aquela árvore de 32 metros de altura. Com suas medidas exatas, mas, em ferro.

Foto: REUTERS/Violeta Santos Moura

Assim, uma equipe moldou o espécime usando andaimes e enviou o molde à China. Lá, o molde foi fundido e enviado a Portugal, onde Ai vive atualmente. Depois disso, a obra foi montada e exibida pela primeira vez.

“As pessoas devem olhar para esses trabalhos e pensar no que podemos perder no futuro”, disse o artista. “É um alerta do que perderemos se não agirmos”, completou.

Foto: REUTERS/Violeta Santos Moura

O desmatamento da Amazônia brasileira vem crescendo a cada dia e a obra de Weiwei possui um significado importante, que nos faz refletir o caminho que estamos tomando.

“O Brasil tem uma política clara que sacrifica seus melhores recursos: sua floresta tropical, sua natureza”, disse Ai Weiwei. “E não são apenas os melhores recursos do Brasil… são os melhores recursos do planeta”, finalizou.

Com informações de G1

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.