Aquilo que fizemos autocentradamente acaba

Esses dias eu li um trechinho do livro “A joia dos Desejos” do querido Lama Padma Samten e fiquei refletindo sobre o quanto nós deixamos de fazer algo de bom pelas outras pessoas por causa do autocentramento, um grande veneno que vem assolando cada vez mais a humanidade.

Farei uma breve reflexão a partir de suas palavras. Leia com bastante atenção!

***************

“Esquecidos da compaixão, temos nossos afazeres urgentes e prioridades inadiáveis. E o tempo passa. Quando os ciclos da vida se completam, tudo desaba, tudo perde o sentido, e o que fica de bom tem um único sabor: a generosidade, o amor e a compaixão que dedicamos a outros seres. Aquilo que fizemos autocentradamente acaba. O que fizemos carinhosamente para um outro, mesmo que pareça não mais existir no plano material, curiosamente segue presente em uma dimensão de satisfação sutil.”

Lama Padma Samten

*************

Essas são palavras extremamente profundas e tocantes. O Lama Samten, com toda sua serenidade e sabedoria, dá uma verdadeira aula, nos ensinando que, mesmo que seja algo pequeno, de pouca relevância, podemos fazer algo que seja bom e positivo para os outros.

Falo isso com bastante humildade e reconhecimento. Todos os dias eu me olho no espelho e fico pensando: “Caramba! Eu ainda faço tão pouco em prol das pessoas…”. Mas eu não digo isso me menosprezando nem nada do tipo. Isso me motiva a fazer pelo menos o pouco que me cabe com os dons que eu recebi.

Um dos meus maiores dons é a escrita objetiva e clara, então eu tento na medida do possível utilizá-lo para espalhar boas sementes, que como diz o Lama: “mesmo que pareça não mais existir no plano material, curiosamente segue presente em uma dimensão de satisfação sutil…”.

Recebo constantemente os feedbacks dos leitores me dizendo que minhas palavras os ajudaram, que algum texto lhes fizeram mudar de atitude, de perspectiva etc. Isso não tem preço! Uma das coisas que mais me motiva a continuar escrevendo é saber que depois de publicado, o texto fica como que numa “nuvem”, que é a internet, e cheio de palavras-chaves, que quando pesquisadas no “google”, fazem os leitores caírem nele.

Por exemplo. Esse texto traz a palavra “autocentramento”, que quando pesquisada no “google” faz com que apareça o link em alguma página, e na hora certa, pra pessoa certa, ela vai lá e acaba clicando. Na hora de ler ela diz: “Nossa! Era exatamente isso que estava precisando ler…”.

Isso é algo mágico e acontece o tempo todo aqui no blog. Esse é um exemplo objetivo do pouco que eu posso fazer para ajudar os outros. E faço isso com bastante alegria.

Até já falei em outros textos. Um passo simples e de grande relevância no bem é simplesmente se dispor a ouvir uma pessoa que esteja carente de atenção. Se você se coloca genuinamente nesse sentido, seja onde for ou com quem for, pode ter certeza de que esse pequeno gesto fará um bem danado não só à pessoa que você deu atenção e parte do seu tempo, mas a toda uma teia de pessoas que convive com ele ou ela.

Eu fico impressionado que em todo lugar que eu vou, sempre vejo pessoas autocentradas, em maior ou menor grau. Gente que trabalha, trabalha e trabalha só pensando em comprar uma casa maior, ou um carro melhor, ou então juntam dinheiro para fazer aquela viagem dos sonhos para a Europa etc etc.

Quero deixar claro que não estou condenando nada disso, na realidade é maravilhoso pensarmos em melhoria de vida, o nome disso é prosperidade. O que estou falando é das pessoas que fazem isso com 100% dos seus recursos entende? Esses são os autocentrados que o Lama está falando no seu livro.

Perceba! Um dinheiro que você junta para comprar uma casa maior, um carro mais chique, uma viagem para o exterior vai ter um destino, mas será o destino de uma bolha de desejos de uma ou duas pessoas. Não será multiplicado para dezenas, centenas ou milhares de pessoas.

Com minha profissão (professor), eu não ganho tanto dinheiro assim, mas com o que ganho tento ajudar mesmo que com pouco algumas pessoas necessitadas, ou compro livros para quem eu sei que se beneficiará do seu conteúdo, entre outras coisas! São atitudes bem pequenas, mas que geram sementes do bem.

Quero concluir reforçando isso. Não queira ajudar de forma mirabolante, extravagante, porque se pensar dessa maneira, você nunca vai sair do lugar. Procure ajudar as pessoas AGORA, com os recursos financeiros de que dispõe, e acima de tudo, com os dons de que dispõe. Seja criativo! Eu tenho certeza que você tem dons incríveis que poderão ajudar muitas pessoas. Façamos cada um de nós a nossa parte e desse jeito, aos pouquinhos veremos muitas sementes germinando, crescendo e se transformando em jardins cheios de árvores frondosas e belas…

Imagem de capa: Reprodução

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor de Física e Matemática, mas não deixa de alimentar o seu lado das Humanas estudando a mente humana e seus mistérios, ouvindo seus pacientes e compartilhando conhecimentos em seu blog "Para além do agora", no qual escreve desde 2012.