Aqueles que rejeitam homossexuais “não têm coração humano”, afirma Papa

Ao gravar uma entrevista com o comediante britânico Stephen K. Amos, da “BBC”, o Papa Francisco, com o senso de humanidade que lhe é inerente, afirmou que aqueles que rejeitam os homossexuais “não têm coração humano”.

CONTI outra

Ao gravar uma entrevista com o comediante britânico Stephen K. Amos, da “BBC”, o Papa Francisco, com o senso de humanidade que lhe é inerente, afirmou que aqueles que rejeitam os homossexuais “não têm coração humano”.

Conforme noticiado pela Revista Exame, na conversa para o programa “Pilgrimage: The Road To Rome”, o comediante conta ao papa Francisco que não é crente e que viajou a Roma “em busca de respostas e fé”.

Stephen, disse sentir-se excluído: “como homem gay, não me sinto aceito”.

Diante dessa questão, o papa Francisco fez um alerta importantíssimo: dar “mais importância ao adjetivo (gay) do que ao substantivo (homem) não é bom”.

“Todos somos seres humanos, temos dignidade. Se uma pessoa tem uma tendência ou outra, isso não lhe tira a dignidade como pessoa”, disse Francisco.

“As pessoas que decidem rejeitar o outro por um adjetivo não têm coração humano”, acrescentou Francisco. Como era de se esperar, a fala de Francisco deixou Amos emocionado.

O papa Francisco sempre se refere aos homossexuais de modo respeitoso, sendo que, numa entrevista concedida à Rede Globo em 2013, ao ser questionado sobre a homossexualidade, o papa refletiu: “quem sou eu para julgar?”.

Diante das palavras de Francisco não só o apresentador americano emocionou-se. Nós, da Pazes, ficamos emocionados também. E você?

***

Imagem de capa: Stephen K. Amos e Papa Francisco se encontraram para gravar episódio de um programa de TV – Foto: Reprodução/Instagram

Fonte indicada: Revista Pazes

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.