Apostas esportivas: um Brasil diferente?

O mundo está passando por uma fase de transformação acelerada e, na verdade, bem mais imprevisível do que se poderia pensar. A aceitação de novos comportamentos, atitudes e valores pode chegar quando, e de onde, menos se espera.

CONTI outra

As apostas esportivas foram liberadas por decreto sancionado ainda pelo presidente Michel Temer, em dezembro de 2018, antes da tomada de posse do novo presidente Jair Bolsonaro. O processo de regulação da atividade, que foi previsto para um período máximo de 4 anos, está agora em andamento e deverá estar terminado bem antes do prazo, em junho de 2020. O que diz isto do Brasil, enquanto sociedade?

A mudança que já tinha acontecido

Até o momento, era proibida a organização de bancas de apostas esportivas em território nacional. O que vinha acontecendo era que os fãs de apostas acessavam sites informativos como o apostasbrazil para se informarem e saberem quais os mais renomados e confiáveis sites estrangeiros oferecendo desafios de apostas esportivas a dinheiro de verdade.

Os acessos a partir do mercado nacional vinham crescendo bastante. É difícil ter dados oficiais, mas a maior parte das plataformas internacionais de apostas já têm uma versão de seu site (ou aplicativo) em português do Brasil, para captar clientes nesse imenso mercado. E as casas de apostas já vinham tentando bancar patrocínio de times de futebol, ainda que de forma tímida, pois a lei era omissa.

Um país diferente?

Essa aceitação do fenômeno do jogo pode querer dizer algo sobre nosso país. Uma definitiva mudança nos costumes e nos valores pode estar acontecendo.

É particularmente significativa a forma como a medida foi aprovada. A MP 846/18 vinha tramitando na Câmara, aguardando o resultado da eleição presidencial. No início de novembro, o presidente eleito apelou ao Congresso para aprovar o texto, argumentando que seria necessária “receita para ajudar no combate ao crime”. O Congresso topou e a criação do regime de apostas de cota fixa passou mesmo a lei antes ainda do fim do ano.

É um tanto irônico que um presidente conservador tenha dado o impulso definitivo para a liberação daquela que é uma forma de jogo – algo que o eleitorado conservador, tradicionalmente, não aprova. Ao mesmo tempo, é o reflexo de uma nova realidade.

O poder da internet e da circulação da informação

A internet deu os meios para contornar a lei e acessar plataformas de apostas no exterior. Com isso, a sociedade brasileira se acostumou a ter apostadores ocasionais. O fenômeno deixou de ser algo de estranho e passou a ser mais próximo.

Mais do que isso, a internet ajuda a passar a informação sobre o que está acontecendo no mundo. As apostas esportivas vêm com um enorme crescimento nos últimos anos, por conta da internet, claro – não é só no Brasil, obviamente. Outros países estão arrumando seu jeito de regular o problema. A vontade que a sociedade brasileira tem de proibir e cancelar totalmente algo que é feito com naturalidade em grande parte do mundo vai desaparecendo. Se eles fazem, porque não conseguiríamos nós fazer também?

O mundo está passando por uma fase de transformação acelerada e, na verdade, bem mais imprevisível do que se poderia pensar. A aceitação de novos comportamentos, atitudes e valores pode chegar quando, e de onde, menos se espera.

***

Imagem de capa fotografierende from Pexels

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.