Recentemente, muita gente consultou o sistema de Valores a Receber para verificar se tinha algum “dinheiro esquecido” no banco e acabou se decepcionou ao descobrir que poderia sacar apenas centavos.

Esse não foi exatamente o que aconteceu com um aposentado piauiense de 68 anos. O homem que preferiu não se identificar se surpreendeu ao descobrir que tinha R$ 19.440,72 “esquecido” no banco. O valor é referente ao consórcio de um automóvel feito há 30 anos, em que ele nunca foi contemplado.

O ex-administrador de metalúrgica relatou que assim que soube do resgate do dinheiro “esquecido” nos bancos, pensou no confisco da poupança durante o governo de Fernando Collor de Mello, em 1990. De acordo com o aposentado, o valor retido da sua poupança nos dias de hoje corresponderia a R$ 1 milhão, porém ele recebeu apenas R$ 1.600 anos atrás e esperava receber o restante.

“Mas assim que foi liberado o ‘dinheiro esquecido’, vi muitas pessoas recebendo centavos e me desanimei. Meu filho foi quem fez o meu cadastro no sistema do Banco do Central e quando fui consultar fiquei surpreso com o valor”, contou o ex-metalúrgico ao Cidades em Foco.

O piauiense disse ainda que, apesar de não estar esperando receber nada, o dinheiro surgiu em boa hora para pagar as contas de casa e até as mensalidades das escolas dos netos.

“Estava precisando desse dinheiro, mas não achei que fosse tanto.”, disse o aposentado.

Ele também falou sobre o que pretende fazer com o dinheiro. “Atualizei minhas contas e guardei a outra parte. Quero trocar meu carro, mas vou aguardar.”, contou.

“Por ora eu estava vivendo sem esse dinheiro, agora vou guardar ele.”, finalizou o aposentado.

ESTAVA PRECISANDO DESSE DINHEIRO, MAS NÃO ACHEI QUE FOSSE TANTO. ATUALIZEI AS MINHAS CONTAS E GUARDEI A OUTRA PARTE. QUERO TROCAR O MEU CARRO, MAS VOU AGUARDAR. POR ORA EU ESTAVA VIVENDO SEM ESSE DINHEIRO, AGORA VOU GUARDAR ELE”, DECLAROU O APOSENTADO.

***
Redação Conti Outra, com informações de Cidades em Foco.
Foto destacada: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.