Após 60 anos, fenômeno da fauna marinha volta a iluminar praia do México. Veja o vídeo!

A cena parece uma pintura! Esse fenômeno natural não acontecia há 60 anos e se repetiu esta semana em uma praia de Acapulco, no México, que parou de receber turistas há um mês, por causa do isolamento social.

Ana Carolina Conti Cenciani

As fotos e vídeos do acontecimento viralizaram na internet. O fenômeno é conhecido com plâncton bioluminescente e chamou a atenção de moradores de Puerto Marqués.

Segundo o biólogo Enrique Ayala Duval, o fenômeno é causado por bactérias marinhas denominadas fitoplâncton. “As bactérias marinhas são os organismos bioluminescentes mais abundantes. São de vida livre ou simbiótica, vivendo na superfície de outros organismos marinhos ou dentro de suas cavidades, por exemplo, dentro de seu trato digestivo”.

O evento nos mostra como os seres humanos afetam o meio ambiente e impedem que muitos processos do ecossistema se completem. A influência do ser humano é muito prejudicial para a natureza, principalmente a logo prazo.

“A bioluminescência é a luz produzida como resultado de uma reação bioquímica na qual participa luciferina (proteína), oxigênio molecular e ATP (trifosfato de adenosina), que reagem por meio da enzima luciferase da seguinte maneira: oxigênio oxida a luciferina, a luciferase acelera a reação e o ATP fornece energia para a reação, produzindo água e luz muito perceptível à noite”, conclui o biólogo.

Ou seja, o fato de esses microrganismos se juntarem também trabalha em conjunto com uma noite escura o suficiente para que esse fenômeno químico seja percebido pelo olho humano e, ainda mais, capturado pela câmera e pela lente de vídeo. A água sem barcos e banhistas também é de extrema importância para o fenômeno.

Esse fenômeno e todos os outros ocorridos que envolvem o reaparecimento de animais, águas limpas e ar puro nos mostram como as atividades humanas afetam o planeta em que vivemos. Talvez seja a hora de levarmos a sério essa reflexão e mudarmos aos poucos nossos hábitos e nossa relação com a mãe natureza.

Com informações de Jornal Já

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 19 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui notícias que são boas de se ler.