Fazer uma baliza no trânsito em uma situação normal já é motivo de tensão para algumas pessoas; mas pode ser algo ainda mais assustador quando se faz isso sob o olhar atento de um avaliador em uma prova prática para tirar a CNH – Carteira Nacional de Habilitação. É bastante comum ouvir histórias de pessoas que, diante do nervosismo da situação, acabam não se saindo bem ao tentar estacioinar o carro em uma vaga entre dois veículos. No entanto, o que aconteceu durante uma prova prática do Departamento Estadual de Trânsito de Santa Catarina (Detran-SC) vai além do que poderíamos esperar: uma aluna de autoescola capotou o carro que conduzia durante a prova.

A autoescola em que a garota fez as aulas de direção informou ao UOL que o avaliador responsável por acompanhar o teste se recusou a permanecer no veículo com a condutora quando ela se preparava para fazer a baliza, momento em que o acidente aconteceu.

A prova foi realizada na última segunda-feira (15) na rua Santiago Dantas, no bairro Estreito, área continental de Florianópolis. A aluna terá que pagar uma taxa e refazer o teste se quiser obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A jovem está recuperada e sem ferimentos após o incidente.

Roberto Pereira, diretor do centro de preparação de condutores dono do veículo danificado, relatou que a aluna dirigia um Fiat Mobi e estava nervosa, por isso, um instrutor da empresa solicitou que o avaliador do Detran-SC ficasse com a jovem dentro do veículo para acalmá-la durante a execução do procedimento, o que teria sido negado.

“Na hora da baliza, ela estava nervosa e nosso instrutor pediu que ele (avaliador) não descesse do carro; ele bateu o pé e disse que não ficaria no carro. Nosso instrutor voltou a argumentar que ela estava nervosa, mas a prova prosseguiu. Quando ela estava fazendo a manobra da baliza, ela se desesperou e, em vez de frear, acelerou o carro. O veículo subiu na calçada, pegou numa mureta, e capotou”, disse ao UOL.

A autoescola afirmou que já havia feito um comunicado em maio à corregedoria do Detran-SC de que os examinadores costumam ficar fora do veículo durante a prova. “Não foram tomadas providências e o que aconteceu nessa semana já era algo esperado. Graças a Deus ela não se machucou, nem machucou outros alunos que também faziam os testes”.

Conforme o artigo 14, da resolução 789, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), no momento do exame de direção o candidato deverá estar acompanhado por, “no mínimo, dois membros da comissão” [avaliadora].

O centro de treinamento de condutores pretende mover ação para solicotar ressarcimento do prejuízo causado no veículo da autoescola, que segue sem estimativa de gastos para reparos.

***
Redação Conti Outra, com informações do BOL.
Fotos: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.