A DoNotPay, empresa que oferece soluções de inteligência artificial para assistência jurídica, desenvolveu “o primeiro robô advogado do mundo”, que está prestes a defender seu primeiro réu, uma pessoa processada por excesso de velocidade. A empresa não divulgou muitos detalhes sobre o caso para proteger a identidade do cliente.

No julgamento, o robô irá ouvir toda a acusação e depois, por meio de um ponto eletrônico, irá dizer exatamente o que o réu deve falar diante do juiz.

O algoritmo desenvolvido pela DoNotPay armazena uma base de dados de casos semelhantes e é capaz de elaborar as respostas mais adequadas. Segundo a empresa, o IA teve um treinamento exaustivo para se distanciar dos fatos e não mentir, o que poderia resultar em implicações mais graves com a justiça.

A empresa ainda garante que o método empregado pelo software é capaz de vencer maioria dos casos, no entanto, caso o cliente da empresa não vença o processo, a DoNotPay irá pagar a multa aplicada pelo departamento responsável pela regulamentação e fiscalização do trânsito nos Estados Unidos.

A multa é estipulada em US$ 16, mas este julgamento é encarado como um teste e pode servir para convencer potenciais clientes para contratarem os serviços da empresa. “São apenas US$ 16 que revertemos, mas esse é o trabalho perfeito para IA – quem tem tempo a perder esperando por US$ 16?”, disse Joshua Browder, CEO da DoNotPay, em conversa com o New Scientist na última semana.

Para o CEO, seu software pode substituir os advogados, já que o custo é bem menor.

“Ainda terão muitos bons advogados por aí argumentando no Tribunal Europeu de Direitos Humanos, mas muitos profissionais estão cobrando muito dinheiro para copiar e colar documentos. Acho que eles serão substituídos, e eles precisam ser substituídos”.

***
Redação Conti Outra, com informações Giz Modo.
Imagem de capa: Reprodução.







LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES



As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.