Se você estivesse na praia com sua família, provavelmente ficaria de olho em seus filhos, afinal todos sabemos que as águas são imprevisíveis e as marés são fortes.

Uma mãe vivceu momentos de muita tensão na praia de Sabaudia, na Itália, quando sua filha de 10 anos foi jogada ao mar. Incapaz de lutar contra a violenta corrente, a jovem gritou enquanto deslizava sob as ondas.

Mas, felizmente, alguém estava prestando atenção à cena e soube agir no momento certo.

Valerio Catoia, um menino de 17 anos com síndrome de Down, viu as meninas de 10 e 14 anos sendo arrastadas para as mandíbulas do mar Tirreno. As duas gritaram por ajuda e ele imediatamente atendeu ao chamado.

O pai de Catoia atravessou a praia com o filho e saiu para resgatar a menina mais velha. Os dois pularam no mar atrás das vítimas muito antes de os salva-vidas em uma estação próxima chegarem perto.

Na maioria dos casos, seria imprudente para o espectador sair correndo atrás de alguém preso em uma corrente, porque também está se colocando em risco no processo. Geralmente, é melhor deixar o resgate para os profissionais.

Mas a menina mais nova não duraria muito e continuava mergulhando na água. E Catoia não era um frequentador de praia comum; o jovem nadava desde os 3 anos de idade e competiu regularmente nas Olimpíadas Especiais, onde conseguiu obter medalhas.

Catoia também estava armado com o conhecimento que havia adquirido em um curso de primeiros socorros, o que lhe foi bastante útil quando ele conduziu a garota para fora do mar, certificando-se de ajudá-la e impedi-la de inalar a água do mar.

Felizmente, houve pessoas que garantiram que Catoia soubesse da grandeza do seu ato. O ex-primeiro-ministro Matteo Renzi disse que a Itália deveria se orgulhar de tal bravura.

O ministro italiano do esporte, Lucca Lotti, entregou a Catoia o prêmio “Campeão da Solidariedade da Itália”, que lhe rendeu uma medalha e uma placa comemorativa.

Quanto a Catoia, ele anseia pela escola e pelo treinamento para recomeçar e diz que embora as atitudes das pessoas ao seu redor tenham mudado, ele é a mesma pessoa de sempre, claro que agora sabemos que ele é um verdadeiro herói.

***
Redação Conti Outra, com informações de Nation.
Fotos: Reprodução.

RECOMENDAMOS




LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES







As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.