Aceitar! Por vezes, é difícil compreender esta palavra, quanto mais esta ação.

Aceitar que quando algo foge de nós, não há nada que se possa fazer, a não ser se tomar de uma atitude amor-próprio!

Aceitar que quando algo foge de nós, não há nada que se possa fazer, a não ser se tomar de uma atitude amor-próprio! Aceitar é ação da alma. Quem gosta de ter o controle é o ego. É ele que quer as coisas do seu jeito, da sua maneira, gosta de mandar e dar voz de comando. Pra ele, não existe “aceitar”, isso é absurdo! O ego manifestado é dominador, mimado, limitado! Aceitar é ato de amor, é da alma, é da verdade .

E este movimento não significa se tomar de um ato de omissão, mas de entendimento e clareza sobre os fatos, sobre a vida, sobre aquilo que precisa acontecer para que ocorra a transformação ou a manifestação necessária de algo importante. Aceitar é se amar! É permitir que a vida flua na sua natureza. É um ato de coragem, de entrega, de confiança! É entender que está tudo certo, é o fluir nas condições que se apresentam e compreender que tudo faz parte de uma obra divina.

Não entenda esta aceitação como permissão para abusos, violência e sofrimentos… Estes são opcionais e não há justificativas que te façam viver em condições de miséria humana. Se colocar em lugares onde não se é amado, respeitado não são atitude de amor para consigo, mas permissões. Na verdade, as pessoas te tratam da forma como você permite que elas te tratem. Por isso, aceite este fato e tome novas iniciativas e posturas diante da vida.

A aceitação aqui é entender que quando algo foge de mim, não há nada mais que possa ser feito, a não ser me cuidar, proteger e amar.

Entender que não posso salvar ninguém, a não ser eu mesma, entender que não posso forçar ninguém a me amar, a não ser eu amar a mim mesma, entender que se ela/e partiu, é porque algo ali se cumpriu… e assim por diante.

Aceitar é soltar, é trazer a paz, e entender que a vida é movimento, cíclica, amorosa e harmoniosa.

Resistir e se apegar à determinada história ou pessoa traz sofrimento. E se apegar e conviver com aquilo que não merecemos, permitimos o sofrimento chegar em nossas vidas.

Saber do que se é merecedor, e sentir isso de verdade faz com que você co-crie uma nova realidade, mais abundante, próspera e amorosa.

Aceitar a vida com amor, os processos com amor, os encerramentos de ciclos com amor para que a vida, na sua divina sincronia traga o novo e permita novas aventuras e expansões. Aceitar é ato de amor para consigo.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Anieli Talon
É jornalista, atriz, locutora, dubladora e tem a comunicação como aliada. Escritora por natureza, tem mania de preencher folhas brancas com textos contagiados por suas inspirações .

COMENTÁRIOS