Acabou um relacionamento? Cientistas apontam a melhor forma de se recuperar

Acabar um relacionamento pode parecer o fim do mundo. Se há quem se recupere rápido e siga em frente, outros não esquecem o ex parceiro, o que pode levar a estados depressivos, insônias ou outros comportamentos negativos para a própria saúde.

Acabar um relacionamento pode parecer o fim do mundo. Se há quem se recupere rápido e siga em frente, outros não esquecem o ex parceiro, o que pode levar a estados depressivos, insônias ou outros comportamentos negativos para a própria saúde, que não se restringem aos breves momentos após a separação, provando que o tempo nem sempre cura tudo.

Em vez disso, há estratégias a adotar, que não são novas, mas ainda assim mereceram a atenção por parte de um grupo de psicólogos da Universidade do Missouri.

A amostra utilizada pelos especialistas contou apenas com 24 participantes entre os 20 e os 37 anos, que haviam terminado uma relação há cerca de dois anos e meio e ainda não tinham se recuperado. Embora seja um número bastante reduzido para representar a população, serviu como ponto de partida para se analisar as ‘técnicas’ que mais se usam para tentar ultrapassar o desgosto amoroso.

Entre pensar negativamente no ex, reavaliar os seus sentimentos naquela relação, distrair-se e não fazer nada, as três primeiras estratégias permitem que o indivíduo se prepare, de certa forma, para um reencontro com o ex (seja pessoalmente ou nas redes sociais), ainda que tal não signifique que se recupere da separação.

Especificamente sobre os sentimentos de que não superou o desgosto, os psicólogos referem que pensar negativamente no ex diminui os sentimentos amorosos, mas deixam a pessoa desconfortável por se focar em aspetos negativos, algo que não acontece quando a técnica passa por reavaliar os sentimentos gerados durante a relação, que poderá, sim, melhorar os sentimentos do indivíduo a longo prazo.

O objetivo desta técnica não é o de revisitar constantemente o passado, mas organizar os pensamentos, uma atitude que os especialistas acreditam que facilite a aceitação do que aconteceu e já acabou.

Quanto à terceira técnica, a da distração, embora não altere os sentimentos por determinada pessoa, deixa o indivíduo mais feliz, sendo por isso apontado como uma boa opção, mas apenas a curto prazo.

***

Nota da página: As informações acima, publicadas em Notícias ao Minuto, deixam claro como a conscientização do que aconteceu e a melhor compreensão dos sentimentos são as melhores alternativas para superar o fim. Para isso, a terapia pode ser uma grande aliada nesse processo. Fica a dica!

***

Imagem de capa: Shutterstock/nd3000

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.