A ditadura da beleza magra acabou! A moda agora é assumir as curvas

Padrões de beleza, nós sabemos, são construções sociais que variam conforme o tempo e a cultura e, assim como são construídos, podem ser desconstruídos.

CONTI outra

Padrões de beleza, nós sabemos, são construções sociais que variam conforme o tempo e a cultura e, assim como são construídos, podem ser desconstruídos. No mundo contemporâneo, globalizado, à diferença do que se passava em outras épocas, instituiu-se um padrão universal de beleza, que não admite exceções e que age de maneira tirânica sobre os corpos femininos, colocando em xeque, não raro, a saúde das mulheres (tanto a psicológica quanto a propriamente física). Esse padrão, no entanto, vem sendo duramente contestado nos últimos tempos.

Que indústria da moda ainda é cruel com quem foge dos padrões impostos por ela – um biótipo magro e alto –, não há dúvidas! Porém, surpreendentemente, a Semana de Moda de Nova York, que apresentou a coleção de outono/inverno de diversas marcas badaladas, contou com o maior número de modelos curvilíneas já visto.

Outro dia assistimos a esta relevante reportagem e decidimos buscá-la no Youtube para compartilhar com vocês. Vale muito a pena assisti-la até o fim. Confira as modelos curvilíneas que não só brilham nas passarelas como também mandam um recado importante para o mundo:

 

Via Revista Pazes

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.