Convido-os para um passeio poético pelas obras de Vik Muniz

Por Josie Conti

Vik Muniz (1961) é artista plástico brasileiro, conhecido, por usar componentes inusitados em suas obras.

É radicado em Nova York. Nascido em São Paulo com o nome de Vicente José de Oliveira Muniz, chegou a cursar Publicidade e Propaganda.

Em 1983, passou a viver em Nova York.

A partir de 1988, começou a desenvolver trabalhos que faziam uso da percepção e representação de imagens a partir de materiais como o açúcar, chocolate, catchup e outros como o gel para cabelo e lixo.

VIC MUNIZ

Em 2010, foi produzido um documentário intitulado “Lixo Extraordinário”, sobre o trabalho de Vik Muniz com catadores de lixo de Duque de Caxias, cidade localizada na área metropolitana do Rio de Janeiro. A filmagem recebeu um prêmio no festival de Berlim na categoria Anistia Internacional e no Festival de Sundance.

Abaixo, caro leitor, convido-o para apreciar algumas de suas obras enquanto realiza um passeio poético.
vik muniz

“Seu olhar parece mais um modo de escutar.”

Mia Couto

lixo_extraordinario

As mães não são santas

As mães choram,
as mães não comem,
as mães não dormem,
mas não são santas.
As mães enganam a fome da gente.
As mães sentem dores, mas não contam,
as mães não são flores, não não
elas não murcham jamais.
As mães não lamentam,
as mães do morro, morre em vida
morre em vida as mães bantas.
Mãe não tem paz, mãe não tem paz!
A mãe do sertão, canta, jejua e canta.
As mães não são santas.
As mães têm suas sinas
mães judias, mães palestinas…
têm suas sinas.
Mãe menina da favela,
só tem pro filho, oração e vela.
Mãe do menino deus, mãe velha.
As mães só querem desinventar a guerra.
Mãe sozinha, mãe do que nem nasceu,
Mães que choram os filhos seus
as mães não são santas,
as mães são mesmo é deus.

Joilson Kariri

lixo33

“Nós lemos emoções nos rostos, lemos os sinais climáticos nas nuvens, lemos o chão, lemos o Mundo, lemos a Vida. Tudo pode ser página. Depende apenas da intenção de descoberta do nosso olhar.”

Mia Couto

Pictures_of_Magazine_2_Artwork_Series_Vik_Muniz_afflante_com_0

Descobrimento

Quando descobri o mundo
Ele estava desnudado e sujo.
Ressaqueado, ar de deboche,
Tentava esconder a nudez com as mãos.

Pois foi preciso redescobri-lo mil vezes
Para enxergar além do hostil.

Hoje, quero cobri-lo com colcha felpuda,
Colocá-lo em meu colo
E contar histórias de esperança
Para que possa adormecer seguro.

Nara Rúbia Ribeiro

vik_muniz_1

Não fosse a tua boca
água nua esperando um barco
e morreria eu de amar,
e morrerias tu sem mar.

Mia Couto

vik_muniz_garotop_lixo

“Quem experimenta a beleza está em comunhão com o sagrado.”

Rubem Alves

Vik_Muniz-Sarah_Bernhardt

“As pessoas não morrem, ficam encantadas.”

Guimarães Rosa

muniz-11

 Aprendi que o artista não vê apenas. Ele tem visões. A visão vem acompanhada de loucuras, de coisinhas à toa, de fantasias, de peraltagens. Eu vejo pouco. Uso mais ter visões. Nas visões vêm as imagens, todas as transfigurações. O poeta humaniza as coisas, o tempo, o vento. As coisas, como estão no mundo, de tanto vê-las nos dão tédio. Temos que arrumar novos comportamentos para as coisas. E a visão nos socorre desse mesmal.

Manoel de Barros

O artista:

Vik-Muniz-ele

“Meu sonho é mudar a forma elitista com a qual a arte é encarada. Não acredito na separação entre o popular e o inteligente, como se fossem coisas antagônicas.”

Vik Muniz  – Site oficial 

COMPARTILHE
Josie Conti
Blogueira e empresária. Após trabalhar anos como psicóloga, abandonou o serviço público para manter seus valores pessoais. Hoje, a Josie Conti ME e sua equipe trabalham prioritariamente na internet na administração funcional, editorial e publicitária de redes sociais e sites como A Soma de Todos os Afetos e Psicologias do Brasil, além de várias outras fan pages que totalizam cerca de 6.5 milhões de usuários. É idealizadora da CONTI outra, o projeto inicial que leva seu nome.



COMENTÁRIOS