Sabe aquele dia em que você amanhece diferente, como se fosse outra pessoa?

Pensamentos estranhos, atitudes incomuns… mas ainda assim é você.

Pode ter sido um sonho bom, um pesadelo terrível, o jantar que não caiu bem, ou simplesmente, você amanheceu diferente. Não outra pessoa, mas uma versão sua até então desconhecida.

Hoje eu amanheci assim. Acordei no horário certo, sabia o que tinha para fazer, estava tudo organizado mas… resolvi fazer diferente, ou melhor, não fiz nada.

-Gente, essa não sou eu. O que está acontecendo?

Incrível como a gente se espanta com a espontaneidade. Perdemos o costume quando somos espontâneos. Assustamos e nos assustamos.

Mas, voltando aos dias diferentes, quem nunca acordou com uma vontade irresistível de arrumar uma mala e sair no mundo? Quem nunca se vestiu diferente do jeito habitual, trocou o café da manhã por um pastel com caldo de cana, chegou tarde no trabalho porque sentou no banco do parque e fez nada por meia hora? Quem nunca acordou diferente, fez tudo diferente, pensou diferente e enxergou a vida de modo diferente? Isso é pura mágica!

Como se ao abrir os olhos, enxergasse de primeira uma placa dizendo: Lamentamos, mas hoje você não pode ser a mesma pessoa de sempre!

E  gente se assusta, mas deveria aproveitar. Certamente é uma chance e tanto de se reinventar, se variar, se experimentar fora do quadrado habitual.

Tão bom sentir que brotam ideias e ações diferentes das que estamos acostumados a selecionar dos arquivos rotineiros! Tão  gostosa a sensação de novas sensações, gostos,  preferências… Talvez sejamos assim todos os dias, talvez uma vez ou outra, mas tem dias em que isso é tão gritante que por pouco não vira lenda: O dia em que eu acordei diferente.

De repente é alguma variação energética, não entendo muito disso, mas também não ouso duvidar. E ninguém pode negar que existem aqueles dias em que a gente se sente na onda verde, tudo fluindo, sem contrariedades, portas se abrindo, os mais difíceis até sorrindo! Ai de nós se não soubermos aproveitar!

Como tenho mania de comparar, diria que os dias diferentes são aquelas estradas impecáveis, de paisagem perfeita e nenhum trânsito para empatar.

Diferente dos dias comuns, onde nos atropelamos e ficamos por muito tempo estacionados e engarrafados na própria rotina.

Se amanhã você amanhecer diferente, não ouse não desfrutar!

COMPARTILHE
Emilia Freire
Administradora, dona de casa e da própria vida, gateira, escreve com muito prazer e pretende somente se (des)cobrir com palavras. As ditas, as escritas, as cantadas e até as caladas.



COMENTÁRIOS