Ninguém é ansioso porque quer

Ninguém diz “você é míope demais” para uma pessoa que não enxerga bem, diz? Ninguém diz “você é diabético demais”, para uma pessoa que tem diabetes, certo?

Por esse motivo fico extremamente irritada quando alguém me diz: “você é ansiosa demais”.

Assim como ninguém é míope ou diabético porque quer, ninguém é ansioso porque quer. Eu daria toda a coca-cola zero da minha geladeira para não ser uma pessoa ansiosa. Luto com unhas e dentes contra essa fera: pratico meditação, yôga, faço terapia e quando o bicho pega tomo florais e homeopatia.

Todavia, tem épocas (ou situações) em que nada disso resolve.

Eis as frases mais ouvidas por um ansioso: “Você não sabe esperar”, “você precisa aprender a ter paciência”, “pare de fazer tempestade em copo d’água”, “você é controlador”, “você é impaciente”, “nem tudo é do jeito que você quer”, “aprenda a respeitar o tempo do outro”, “por que você sempre imagina o pior?”, “você é muito extremista”, “você quer tudo para ontem”, “você é pessimista”, “por que você não fez isso ou aquilo ainda?”, etc.

Diante dessa chuva de observações pejorativas a única coisa que o ansioso consegue é ficar ainda mais ansioso: ansioso por conter sua ansiedade para não perder o afeto e a admiração dos que o cercam.

O mais curioso disso tudo é que, em geral, as pessoas que criticam os ansiosos também são ansiosas, mas não percebem isso (ou disfarçam melhor).

Os transtornos de ansiedade pouco têm a ver com impaciência. Eles estão mais relacionados ao funcionamento da psique – e eventualmente a alguma disfunção fisiológica – do que a qualquer outra coisa.

Nem todo mundo sabe, mas a depressão, por exemplo, pode ser um sintoma de ansiedade. Ansiedade não necessariamente tem a ver com agitação e impaciência. A ansiedade pode, inclusive, paralisar uma pessoa, embotar suas emoções.

A mente de uma pessoa ansiosa nunca pára e está sempre criando cenários e possibilidades, na maioria das vezes, desfavoráveis. Não, um ansioso não é um pessimista, um nuvem negra, um controlador, ele é apenas ansioso!

Tentar controlar um ambiente, uma situação, uma pessoa; tentar resolver as coisas a seu modo – são, na verdade, tentativas ilusórias de evitar que o pior aconteça e de afastar os pensamentos catastróficos.

Assim como a diabetes, ansiedade não tem cura, mas pode ser controlada.

Portanto, caro coleguinha que se julga super equilibrado emocionalmente, pense duas vezes antes de dizer “você é ansioso demais” para uma pessoa ansiosa, pois ninguém é ansioso porque quer e agindo assim você vai apenas contribuir para que a ansiedade do outro aumente, uma vez que ele se sente impotente diante do transtorno que apresenta.

Ok, pessoas ansiosas que às vezes enchem o saco e passam dos limites devem, sim, aprender a lidar com sua ansiedade e necessidade de controle, mas isso não lhe dá o direito de tratá-las como se fossem infantis, imaturas ou, pior, portadoras de doenças contagiosas. De mais a mais, se você não consegue lidar com a ansiedade de alguém é porque no fundo pode estar jogando sua própria ansiedade para debaixo do tapete – em geral, o que mais nos irrita no outro é o que nos incomoda em nós mesmos e não queremos olhar nem admitir.

Que tal, ao invés de julgarmos, exercitarmos a empatia?

 

COMPARTILHE
Mônica Montone
Mônica Montone é formada em Psicologia pela PUC-RJ e escritora. Autora dos livros Mulher de minutos, Sexo, champanhe e tchau e A louca do castelo.



COMENTÁRIOS