Não tens dinheiro, mas tens amor e imaginação

Por Raul Minh’alma

Esta mensagem é para ti, rapaz, que para tentares ganhar um sorriso da tua namorada, precisas de puxar da carteira. Esta mensagem é para ti, rapaz, que para tentares conquistar a mulher dos teus sonhos, a enches de objetos caros e fúteis. Esta mensagem é para ti, rapaz, que por preguiça de pensar em algo romântico e diferente, acabas por te socorrer da tua conta bancária recheada para encantar a tua miúda.

Rapaz, ela não quer objetos, quer momentos. Ela quer algo que fique para sempre no coração dela, não na estante do quarto. Ela quer algo que a faça viajar para outro lugar e não que a faça pensar no lugar onde o colocar. Ela quer-te a ti no mundo dela, não as tuas coisas. Não lhe dês o que qualquer um lhe pode dar, dá-lhe o que só tu lhe podes dar. Dá-lhe amor, dá-lhe confiança, dá-lhe carinho, dá-lhe conforto, faz-lhe uma surpresa! Sê simples, sê sincero, sê romântico, sê apaixonado, sê original!

Certamente já caíste na tentação de lhe oferecer um relógio. Mas nunca caíste na tentação de lhe dar um ramo de flores. Certamente já caíste na tentação de lhe dar uma pulseira da Pandora, ou uma peça para ela. Mas nunca caíste na tentação de lhe dares a tua companhia quando ela mais precisava. Certamente já caíste no ridículo (sim, já nem tentação é) de lhe dar dinheiro para ela comprar uma prenda para ela. Mas nunca caíste na tentação de a convidar a ver o pôr do sol contigo. Rapaz, ela não precisa de algo super elaborado, super caro, ou super qualquer coisa. Ela precisa de algo que seja feito especialmente para ela, com carinho, com amor e com toda a atenção do mundo. Ela precisa da tua mensagem de bom dia todas as manhãs; ela precisa de teu beijo de boa noite todas as noites. Coisas simples que nenhum objeto que lhe possas dar irá substituir.

Mas esta mensagem também é para ti, rapaz, que por não teres dinheiro, achas que
não consegues conquistar aquela rapariga que tanto desejas. Mas sabes uma coisa? Não precisas de ter dinheiro: precisas de ter amor e imaginação. Se não tens dinheiro para lhe dar uma prenda, escreve-lhe um poema. Dá o teu melhor! Não importa se usas as rimas mais fáceis e as palavras mais simples que sabes, mas fá-lo com intenção, fá-lo com carinho e amor. Se não tens dinheiro para a levar a jantar fora, faz tu mesmo o jantar. Talvez tenha um pouco de sal a menos, ou até fique um pouco queimado, mas ela vai saber que o fizeste com amor, que o fizeste por ela e que deste o teu melhor. Se não tens carro para a levar a passear, convida-a para verem as estrelas no teu jardim. Talvez até esteja um pouco de frio nessa noite e o teu cão se lembre de se juntar a vocês e quebrar o clima. Mas mais tarde até se vão rir dessa situação, e ela vai lembrá-la, essencialmente, com amor. Vai lembrar-se que sempre lhe deste o melhor de ti, vai lembrar-se que usavas a cabeça e o coração para compensar o que o teu bolso não tinha, vai lembrar-se que com pouco sempre fizeste muito. E vai lembrar-se porque ficou guardado no coração dela e não numa gaveta ou estante do quarto. Porque o tamanho do teu amor não é definido pelo número que vem na etiqueta.

Nunca te esqueças: o que lhe deres de supérfluo, ela irá guardá-lo no bolso, o que lhe deres de fugaz, ela irá guardá-lo na mão, o que lhe deres de interessante, na memória, e o que lhe deres de eterno… no coração.

Nota da Conti outra: Agradecemos ao autor português Raul Minh´alma por nos enviar esse texto e autorizar a publicação nesse espaço.

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS