Difícil não é dar o que temos, mas doar o que somos

Doe sorrisos, abraços, gentileza, conhecimento. Doe seu tempo e seu amor. A vida nos retribui com generosidade por tudo o que fazemos de bom.

As maiores decepções que teremos na vida serão com pessoas próximas, principalmente quando nelas depositamos a esperança de receber em troca o que achamos que merecemos. Todo mundo tem a capacidade de surpreender, às vezes positivamente e, muitas vezes, de forma decepcionante. Cabe-nos perceber que, com exceção de quem se nega a compartilhar qualquer coisa que seja, cada um se mostra na medida exata do que possui dentro de si, nada mais do que isso. Seja você, então, quem se doa com dedicação e verdade.

Doe sorrisos. Não imaginamos o quanto nos faz bem sermos atingidos por um sorriso sincero, um semblante com uma leveza acentuada no canto dos lábios. É contagiante, pois raramente não retribuímos com gratidão a quem nos sorri. Estamos estendendo entendimento às pessoas quando sorrimos, como se lhes disséssemos que tudo vai ficar bem, que essa dor que ela sente vai passar, que é preciso continuar. Isso dispensa quaisquer palavras.

Doe abraços. Como nos diz a canção, é ali o melhor lugar do mundo, um lugar em que acomodamos os nossos pesares e suavizamos os pesos de nossa alma. Nem precisa ser demorado, mas intenso e recheado de boas intenções, para que nos revista de energia positiva. Um abraço sincero é combustível de amor, de alegria, de motivação e nos reafirma, com propriedade, que ainda há esperança de que o melhor virá e nos encontrará.

Doe tempo. Mesmo que sejam minutos, um dos melhores presentes que podemos receber do outro é perceber que ele está ali, naquele momento, totalmente voltado para nós, pronto para compartilhar a alegria e a dor que nos preenche. Ter alguém que nos ouve e nos acolhe em sua vida, que responde aos nossos chamados, fará toda a diferença nos momentos em que estejamos alquebrados e devastados emocionalmente.

Doe gentileza. Aonde quer que vá, seja gentil com todos, sem afetações ou exageros, mas seja o seu você mais humano. É necessário que externemos o que de melhor temos dentro de nós, para que nossa luz fique cada vez mais forte, afastando os fantasmas alheios e as escuridões pessoais. Há pessoas que estão sofrendo, passando por problemas imensuráveis, e um gesto de gentileza lhes poderá salvar grande parte de suas desolações. Muitas vezes, um olhar de compaixão é mais benéfico do que moedas jogadas pelo vidro do carro.

Doe conhecimento. Os saberes se multiplicam, quando compartilhados, pois acabam acrescidos pelo que cada pessoa que o recebe possui. Deter conhecimento não torna ninguém melhor do que o outro, não garante que a pessoa continuará sendo chefe ou líder, não significa que o indivíduo é mais capaz do que os demais. Quanto mais dividirmos o que sabemos, mais pessoas poderão ter a chance de alcançar os seus sonhos.

Doe amor. O amor cura, salva, harmoniza, liberta e dissemina-se além dos espaços possíveis, não se contendo em si, tamanha é a sua força. O mundo precisa de mais tolerância, de mais paciência, de mais educação, e tudo isso se constitui de essência amorosa. Não é possível gostar de todo mundo, mas amarmos verdadeiramente quem caminha conosco será um dos maiores favores que poderemos prestar aos nossos queridos e a nós mesmos.

É difícil conseguirmos nos doar com dedicação e persistência, haja vista a carga excessiva de trabalho e de afazeres que preenchem quase que a totalidade de nossas responsabilidades diárias. No entanto, se nos dispusermos a olhar para fora de nós, estaremos contribuindo ao caminhar junto, ao senso de coletividade que deve permear toda e qualquer busca de felicidade nessa vida. Lembremos, afinal, que a vida nos retribui com generosidade por tudo o que fazemos de bom.

COMPARTILHE
Marcel Camargo
"Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar".É colunista da CONTI outra desde outubro de 2015.



COMENTÁRIOS