Dicas para namorar com alguém que tenha a Síndrome de Asperger

Escrito por Angie Beckert | Traduzido por Leticia Vitória

Fonte: E How Brasil

Pessoas com transtornos do espectro autista, incluindo a Síndrome de Asperger, tendem a viver em seu próprio mundinho. Relacionamentos amorosos com alguém diagnosticado com Síndrome de Asperger (conhecido também como Aspie) são um desafio, pois eles têm dificuldade com a comunicação e em demonstrar empatia, aptidões que os relacionamentos saudáveis necessitam. Entrar em um relacionamento com alguém com Asperger exige que você mude suas expectativas com comportamentos “normais”. Em troca, no entanto, você talvez faça parte de um relacionamento duradouro e recompensador.

Mude suas expectativas

Aceite o fato de que seu parceiro com Asperger enxerga você como “neurotípica”. Aqueles que estão familiarizados com a síndrome cunharam esse termo. Eles o usam para definir as pessoas que não tem nenhum dos transtornos do espectro do autismo. O treinamento de habilidades sociais para quem tem Asperger inclui aprender como interagir na forma neurotípica. Chegue a um acordo com essa visão de seu comportamento no início da relação, para que então você possa concordar a fazer algumas regras básicas para evitar conflitos. Curiosidade intelectual ao ponto da obsessão é o que define a síndrome de Asperger. Respeite que eles valorizam seu espaço, tempo e paixões. Perceba que você pode ser um destes interesses em que eles se fixarão. Se depois de um determinado tempo o interesse dele em você diminuir, entenda que isso não reflete seus sentimentos românticos por você. As pessoas com Asperger entendem as noções básicas de um relacionamento. Eles podem não se comportar como um namorado típico, mas isso não muda seu papel na sua vida ou o seu lugar na vida dele. Seja pró-ativa, expressando seus desejos para ele de forma explícita. Declare o óbvio. Largar dicas e ter um comportamento recatado não levará você a lugar algum.

Noções básicas para a comunicação

Quem tem Asperger dá valor nominal à língua. Sarcasmo, humor e insinuações os deixam confusos. Ao se comunicar com ele, use uma linguagem clara e direta e evite linguagem figurada. Eles não mentem, então seja honesta com ele. Não se ofenda se ele esquecer de responder cumprimentos, expressões verbais ou respostas de uma pergunta que você fizer. Eles têm muita dificuldade com sinais sociais, então se for para fazer algo lembre gentilmente que você gostaria de uma resposta. Quem porta a síndrome tem dificuldade em interpretar as noções básicas de comunicação não-verbal, como expressões faciais ou tom de voz. Se você ficar chateada com alguma coisa, discuta com ele de forma calma e racional. Ele provavelmente não “entenderá” como você se sente. Deixe para lá você apenas ficará mais brava. Geralmente eles não respondem à conversação natural. Embora sejam frequentemente tagarelas e articulados, eles podem falar por horas sobre assuntos que apenas interessam a ele. Se você tentar se engajar na conversa ou mudar o assunto sem obter sucesso, não desanime. Tente usar a tecnologia a seu favor. Mensagens de texto e comunicação pela internet são mais fáceis pois reduzem a quantidade de sinais não-verbais e sociais que você pode esperar que eles interpretem por telefone ou pessoalmente.

Demonstrações de afeto e expressões emotivas

Quem tem a síndrome de Asperger tem dificuldade em expressar afeto físico. Eles são muito sensíveis ao estímulo, incluindo o toque. Ele talvez não fiquem confortáveis em segurar sua mão, receber abraços inesperados, ou beijar, no início. Talvez você não entenda porque você o veja expressando afeto com familiares e amigos próximos. Isso não significa que ele não se importa com você. Eles não respondem bem à mudança e levam bastante tempo para se ajustar a novos ambientes e pessoas. Dr. Lawrence Weathers explica em seu site que a raiz subjacente da falta de respostas sociais apropriadas e interações é o medo da rejeição. Um de seus pacientes compartilhou que conseguia entender o que as pessoas esperavam, mas não conseguia responder como queriam. Pense em seu parceiro com Asperger como alguém muito estranho socialmente. Eles se importam tanto com o que as pessoas pensam sobre eles ao ponto de paralisá-los em situações sociais. Explore seus interesses em comum ou aprenda sobre os dele. Eles provavelmente retornarão o favor se você compartilhar suas paixões e interesses, o que fará o seu relacionamento florescer.

Saiba mais sobre Síndrome de Asperger

 

Você achou esse conteúdo relevante? Compartilhe!

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS