Como manter a calma na presença de pessoas que você não gosta?

Por José Coelho

O que você sente quando se encontra na presença de uma pessoa de quem não gosta e de quem, às vezes, nem conhece assim tão bem?

Seja um colega de trabalho ou de faculdade, o seu chefe, ou até aquele alguém que passa à sua frente na fila do supermercado, ou que pertence a outro clube de futebol diferente do seu, ou partido político, ou simplesmente alguém que, só de olhar para a sua cara, o(a) faz não gostar dela.

Todos nós, ao longo da nossa vida, conhecemos pessoas com quem sentimos mais sintonia e outras que nem por isso. Por diversos motivos, até inexplicáveis, há pessoas com quem não temos mesmo qualquer afinidade e outras de quem não gostamos mesmo nada.

Seja como for, todos nós somos adultos e a melhor coisa a fazer quando estamos na presença dessas pessoas é permanecer calmo e lidar com a situação de melhor forma possível. O importante mesmo é não perder a cabeça.

“Calmo?” Não perder a cabeça? Pergunta você? É assim difícil?

Eu sei que é complicado porque nem sempre é possível darmos-nos bem com todas as pessoas que encontramos, pois cada um de nós tem a sua personalidade, umas mais vincadas que outras, mas o importante é NÃO GUARDAR RANCOR porque isso só vai acumular negatividade à sua vida.

Se você decidiu que não gosta de alguém porque essa pessoa veste casacos de pele e você é um grande apoiante da defesa dos animais, por exemplo, ou algo semelhante, sem, de facto, ter tido a oportunidade de conhecer verdadeiramente a pessoa de quem você assume que não gosta, porque não experimenta tomar a iniciativa de falar com ela? Isso mesmo, fale com ela! Inicie uma conversação com a pessoa que você diz não gostar, conheça também os seus gostos e pergunte-lhe porque motivo usa peles, por exemplo.

Falar com a pessoa de quem você não gosta mas que, na verdade, não conhece, pode ajudá-lo(a) a aperceber-se de que, se calhar, essa pessoa não é assim tão má como estava a pensar. Tente não julgar ninguém e se essa pessoa lhe disse algo que você achou impróprio ou ofensivo, espere um pouco, antes de responder ou de criticá-la, para pensar sobre o que a levou a formar essa opinião.

NÃO SE PRECIPITE A JULGÁ-LA NEM SEJA IMPULSIVO(A).

Pensar antes de falar é a chave para se manter calmo nestas situações.

Mas assim que sentir a cabeça mais leve pode expressar os seus pensamentos sem julgamento e sem raiva.

Defenda o seu ponto de vista.

Por vezes pode ser difícil distanciar-se dessa pessoa, especialmente se for alguém mais próximo de si no emprego, por exemplo, ou na escola, etc. Se puder evitar contacto com ela, faça-o, mas não de forma rude.

Evitar confrontos é o mais recomendável. mesmo que você seja forçado a interagir com essa pessoa. Não sinta culpa, porque afinal todos somos seres humanos. Todos temos emoções e, por vezes, mesmo quando não apreciamos estar na companhia de alguém que dizemos não gostar, nem nos apercebemos que a outra pessoa, afinal, até gosta de nós e de estar junto de nós.

Mas não tem mal nenhum, obviamente, de não gostar de alguém. Isto não significa que você seja uma má pessoa, claro. Se a outra pessoa entender as suas pistas, irá rapidamente aperceber-se dos seus sentimentos acerca dela e isso também não faz dela uma má pessoa.

Lembre-se sempre deste meu conselho: CABEÇA LIMPA, CABEÇA NO LUGAR.

TEXTO ORIGINAL DE Hoje Descobri, via Psicologias do Brasil

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS