Cinco tipos de ciumentos na música brasileira. Você é algum deles?

Por Alan Lima

Ouça todas as músicas organizadas em nossa Playlist do Youtube!

1. O ciumento onipresente.

O ciúme que obscurece a paisagem e a vida de seu alvo. Aquele rapaz que tem medo da estrada profissional ou intelectual de sua namorada. A menina que tem medo dos ambientes em que seu namorado possa se sentar e assistir. Incapazes de iluminar o caminho de suas companhias, pairam como sombra monstruosa em todos os lugares.

“Sobre toda estrada, sobre toda sala
Paira, monstruosa, a sombra do ciúme.”
O Ciúme (Caetano Veloso)

2. O ciumento embaraçoso.

O outro faz algo. O ciumento acha fantástico e atraente. Mas por medo do outro descobrir novos admiradores, diz que está tudo sem graça. Torna-se excessivamente crítico. O que era elogio antes vira observações negativas. Quantas vezes você faz isso sem se dar conta?

“Se você põe aquele seu vestido
Lindo e alguém olha pra você
Eu digo que já não gosto dele
Que você não vê que ele está ficando démodé”

Ciúme de Você (Roberto Carlos.)

3. O ciumento espiritual

Num passeio, na praia, num luar. Ele quer ser o centro e quando a atenção é dada a qualquer outra coisa, até mesmo elementos da natureza, se sente mal amado. Não sabe ainda que melhor do que ter a atenção é compartilhar os momentos. Que o sol, a lua, o mar, a roupa que ela admira também podem fazer parte da felicidade deles.

“Tenho ciúme do sol, do luar, do mar
Tenho ciúme de tudo
Tenho ciúme até
Da roupa que tu vestes.”

Tenho ciúme de tudo (Orlando Dias)

4. O ciumento convicto

Tem certeza que está sendo ou irá ser traído. Ver pistas em todo lugar. No andar, no olhar, nas roupas. Torna o relacionamento aos moldes de algum seriado investigativo. É detetive que produz provas, elas existindo ou não. Parece loucura? Avalie suas suposições a respeito do seu parceiro. Você pode se surpreender.

“Leio as mensagens do celular
E sei que vou achar algo
Eu ouvi quando chamou
E ele se apressou em desligar.”

Ode ao Ciúme (Bardoefada)

5. O ciumento sincero.

Sabe quando sente ciúmes e admite. Ainda evolui lentamente. Porém, se temos a chance de sermos sinceros e nossos esforços valorizados, é possível melhorar uma relação. Neste caso ele se morde, mas não está mordendo ninguém. Já é um grande começo pra quem deseja perpetuar um amor.

“Meu bem me deixa
Sempre muito à vontade
Ela me diz que é muito bom
Ter liberdade
E que não há mal nenhum
Em ter outra amizade
E que brigar por isso
É muita crueldade…
Mas eu me mordo de ciúme.”

Ciúme (Ultraje a rigor.)

Ouça todas as músicas organizadas em nossa Playlist do Youtube!

COMPARTILHE
Alan Lima
"Escrevo porque fui alfabetizado um dia. Nada é meu, tudo é aprendido. Sou um autor de textos de todo mundo. O meu texto é pra ser isso, é pra ser teu."Um dos editores do Conti Outra e integrante do fan club de gifs de cachorros.



COMENTÁRIOS