Cidade americana incentiva a construção de casas nos fundos para os avós morarem

Via planeta

Uma iniciativa recentemente implantada na cidade de Portland, em Oregon nos Estados Unidos, vem chamando atenção e conquistando adeptos. O conceito chamado de “Casa da vovó”, consiste na construção de moradias nos fundos de residências já construídas e vem tendo forte incentivo do governo da cidade americana.

Em diversas cidades do mundo, a construção de unidades residenciais separadas das casas principais são proibidas devido a regulamentações e leis de zoneamento. Contudo, os governantes de Portland perceberam que a prática pode trazer enormes benefícios, tanto para a cidade quanto para os proprietários das casas. Além de oferecer um abrigo para pais e avós que visitam seus filhos e netos na cidade ou mesmo precisam morar mais perto, as construções adjacentes proporcionam vantagens como alugueis temporários para turistas por preços acessíveis fazendo o investimento para a construção retornar a seus proprietários.

O casal Stephanie e Sam Dyer, por exemplo, decidiram construir uma versão menor de sua casa para seus pais ficaram quando forem visitá-los. Quando a casa fica vazia, o casal a aluga para temporadas pelos sites Airbnb e VRBO.

Já Jen Wetland e Bryan Scott, transformaram sua garagem com vagas para dois garros em uma casa de 44.5 m² com um orçamento de US$ 60 mil, já que optaram pelo uso de material reciclado na construção. Para recuperar o investimento e ainda gerar lucro, decidiram viver na casa menor e alugar sua casa com quatro quartos, cujo aluguel é mais do que suficiente para pagar suas despesas.

Segundo o secretário de planejamento urbano do município, Eric Engstrom, a prática tem se tornado cada vez mais popular. “Diante da baixa taxa de imóveis vagos, quando você oferece um, aluga-o em uma hora”, diz o secretário. Além disso, ao construir uma casa no fundo do lote, o valor total do imóvel aumenta.

O engenheiro Jordan Palmeri fez uma análise quanto a sustentabilidade da nova modalidade de moradia adotada pela cidade e as conclusões foram animadoras. Segundo o engenheiro, mesmo com a construção de novas casas, os resíduos gerados pela construção civil são reduzidos. Cerca de 20% dos resíduos encontrados nos lixões são entulhos de demolições e reformas. “Com a construção de uma unidade separada da casa principal o desperdício é evitado”, disse. “São poucas as pessoas que desgostam do projeto. Trata-se de uma pequena ideia maravilhosa.”

Imagem: Residência de Stephanie e Sam Dyer em Portland
Imagem: Residência de Stephanie e Sam Dyer em Portland

Você achou esse conteúdo relevante? Compartilhe!

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS