Do chão não passa!

A partir do momento em que damos nossos primeiros passos, com aquelas perninhas inexperientes e incertas, aprendemos três valiosas lições:

• Tropeçar é inevitável!
• Cair faz parte!
• Do chão não passa!

E quer saber qual é o melhor indício de que você vem fazendo jus às experiências a que foi apresentado? Alguém vai dizer que você tem sorte. Outro alguém vai tentar te derrubar. Ou ainda, haverá muitos que dirão que você é um idealista, um visionário ou maluco.

Nesse momento você deve sorrir para si mesmo e entender que está no caminho certo! Você deve assumir seu posto de protagonista da sua aventura nesse planeta e focar naquilo que você sonha para você mesmo em seu futuro. Porque sonho sem foco, não passa de ilusão; e foco sem sonho, é apenas um alvo seco e sem brilho.

Destino é uma ideia criada por aqueles que ficam procurando desculpas para a falta de garra em fazer a vida dar certo.

“Não era pra ser!”; “O mundo é injusto!”; “Tenho certeza que foi olho gordo!” – essas são apenas algumas das frases prontas que a gente pode bradar por aí, como se fossem escudos para nos proteger de assumir riscos.

Sem assumir riscos, ficamos no lugar cômodo e conhecido onde não há sustos, apertos ou desafios. Nada disso. Mas também não há boas surpresas, frio na barriga, nem fogo na alma.

A essência da vida reside na quantidade de vezes que formos capazes de sambar na cara das evidências contrárias e lutar com toda a nossa energia por nossos objetivos e ideais.
Cada dia de nossas vidas é uma espécie de estreia, é o ponto de partida. E o ponto de partida define cinquenta por certo do resultado na chegada. O processo – a nossa postura ao desempenhar cada tarefa ao longo do dia -, é uma oportunidade diária de mostrar ao mundo ao que viemos.
Podemos encarar esses desafios cotidianos com a alma ressabiada dos pessimistas e economizar na ousadia; ou com o peito cheio do apetite dos otimistas e saborear o que vier. Haverá doçuras, azedumes, amarguras e delícias… tudo isso é o tempero da vida.

E não importa o tipo de ofício que tenhamos assumido ou abraçado. A mais simples das tarefas pode transformar o mundo ao redor, quando é feita com fibra, compromisso e paixão.

Aqueles que fazem de suas vidas uma missão, encontram o propósito de estarem vivos. E, por isso, vislumbram em cada etapa uma oportunidade para evoluir, em cada crise uma chance de trazer à tona uma pessoa mais forte e amadurecida. Porque aprender é o nosso destino e não há melhor escola do que a própria vida.

No fim das contas são os pessimistas que enxergam os problemas, mas só os otimistas são capazes de resolvê-los. Porque é preciso muita energia e persistência para não deixar que os revezes nos impeçam de vislumbrar uma vida plena.

E uma vida plena é coisa para aqueles que não têm medo de acreditar, ainda que não haja garantia de nada, ainda que nem tudo dependa de nós! É arregaçar as mangas e não se contentar apenas com o que é possível. É no impossível que reside o caminho para uma vida extraordinária!

Imagem de capa meramente ilustrativa: cena do filme “Coco antes de Chanel”

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Ana Macarini
"Ana Macarini é Psicopedagoga e Mestre em Disfunções de Leitura e Escrita. Acredita que todas as palavras têm vida e, exatamente por isso, possuem a capacidade mágica de serem ressignificadas a partir dos olhos de quem as lê!"

COMENTÁRIOS