Algumas razões para fazer psicoterapia

Apesar de infinitos os motivos pelas quais sofremos emocionalmente, eis algumas razões para procurar a ajuda de um psicoterapeuta.

-DIFICULDADES NOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS.

Seja nas relações sociais, afetivas, profissionais ou familiares, um entrave gera sofrimento e outras perdas. O ser humano é uma espécie que nasceu para viver “em bando”. Inabilidade em se relacionar causa sofrimento, seja pelo isolamento ou pela inadequação de um comportamento, por exemplo, agressivo. As dificuldades nos relacionamentos afetam o desempenho, na escola, no trabalho, na vida em geral. Não relacionar-se impede a nossa evolução em todos os aspectos. Durante o processo de psicoterapia, podemos observar mais detalhadamente cada uma das nossas relações e entender porque algumas delas falham. É comum pessoas nos procurarem por dificuldades de relacionamento afetivo, por exemplo, e vivenciar uma grande evolução durante o processo.

-TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS.

Comportamentos depressivos, ansiosos, fóbicos, além das crises de pânico e transtornos alimentares como anorexia e bulimia também são indícios de que se precisa de ajuda profissional. Essas são as principais doenças que afetam a sociedade atualmente, e devem ser tratadas com acompanhamento psiquiátrico e psicoterapia, por isso devem ser muito bem diagnosticadas. O bom psicoterapeuta é o que sabe encaminhar ao psiquiatra e vice versa. É preciso ter muita atenção ao diagnóstico. Transtorno de Ansiedade Generalizado (TAG), Síndrome do Pânico, Depressão e Transtornos Alimentares são exemplos de doenças com causas físicas (desequilíbrio em produção de hormônios) e emocionais – por isso é preciso atuar em ambos os pontos.

-STRESS PÓS-TRAUMÁTICO.

São caracterizado por traumas emocionais agudos causados pela vivência de situações como: perda de um ente querido, acidentes de qualquer espécie, assaltos ou qualquer tipo de exposição à violência; entre outros eventos. As reações podem ser as mais variadas, e muitas vezes são físicas, mas a principal delas é o medo de voltar ás atividades da vida diária. Todo reação fóbica (de medo), resulta em fuga/esquiva, por isso é preciso buscar ajuda, ou corre-se o risco de nunca mais conseguir retomar a rotina. Um trauma pode permanecer por toda a vida caso não seja superado – a psicoterapia atua exatamente na superação do mesmo. Nesses casos também existe a necessidade de encaminhar para acompanhamento médico. Importante lembrar, não só esse, mas todos os quadros de stress indicam necessidade de psicoterapia.

-AUTOCONHECIMENTO.

Entender-se e descobrir-se faz de cada um de nós pessoas melhores. Lapidar conceitos sobre si mesmo, melhorar a autoestima e a autoimagem nos fazem mais felizes. Conhecer e aceitar nossas características físicas ou nossa opção sexual, por exemplo, são etapas importantes para nos tornarmos maduros emocionalmente. A não aceitação de si mesmo é receita de fracasso em qualquer quesito da nossa vida. Evoluir e buscar o que se quer é uma obrigação tão grande quanto cuidar da saúde física. A psicoterapia é um processo de desvendar-se, é superar os obstáculos criados muitas vezes por nós mesmos.
Termino com a frase que mais gosto de um grande homem, conhecido como o pai da psicanálise, por quem nutro profundo respeito: “NO DIA EM QUE A VONTADE FOR MAIOR QUE O MEDO DE MUDAR, A PESSOA MUDA!” – só procure um psicoterapeuta se estiver disposto a mudar – para melhor!

COMPARTILHE
Viviane Battistella
Psicóloga, psicoterapeuta, especialista em comportamento humano. Escritora. Apaixonada por gente. Amante da música e da literatura...



COMENTÁRIOS