A velhice e a mocidade, neste poema, dialogam. Vale reflexão!

DIÁLOGO

O mancebo perfeito e o velho humilde e rude
Viram-se. E disse ao velho o mancebo perfeito:
“Glória a mim! sorvo o céu num hausto do meu peito!
E o velho: “Engana o céu… Tudo na terra ilude…”

“Rebentam roseirais do chão em que me deito!”
“A alma da noite embala a minha senectude…”
“Quando acordo, há um clarão de graça e de saúde!”
“Pudesse ser perpétua a calma do meu leito!”

“Quero vibrar, agir, vencer a Natureza,
Viver a Vida!” “A Vida é um capricho do vento…”
“Vivo, e posso!” “O poder é uma ilusão da sorte…”

“Herói e deus, serei a beleza!” “A beleza
É a paz!” “Serei a força!” “A força é o esquecimento…”

“Serei a perfeição!” “A perfeição é a morte!”

Olavo Bilacconselho

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS