5 bons motivos para dizer “não” sem culpa

Muitas vezes dizer “não” é a melhor coisa que você pode fazer por você.

A maioria de nós vive “ligado” 24 horas/ 7 dias. Nossos dias não começam e nem terminam dentro do horário de trabalho. Descontando o mínimo de horas recomendado de sono diário, restarão umas 72 horas por semana para dar atenção à família, amigos e outras tarefas como nossos hobbies. Vivemos em função de calendários e agendas, programando tudo, incansavelmente, para nos adaptarmos ao tempo disponível. Mas algumas vezes, se nos desviarmos um pouco dos planos e agendas pré-estabelecidos e simplesmente dissermos “não”, podemos conseguir ótimos dividendos para o nosso bem estar.

Esta palavrinha “não”, embora curta, é uma das mais difíceis de dizer. Na realidade, pesquisas mostram que frequentemente concordamos com mais coisas do que gostaríamos, e acabamos aceitando uma sobrecarga além o nosso limite, só para não desapontar os outros. Sem considerar que, dizer “não’ cara a cara, já é uma sobrecarga.

Uma de nossas necessidades fundamentais é o relacionamento e a conexão com outras pessoas e o sentimento de pertencimento a grupos, diz a Dra. Vanessa Bohns, professora assistente de ciência da administração da Universidade de Waterloo em Ontário, Canadá, em entrevista ao “The Wall Street Journal” . Ao dizer “não” sentimos estar ameaçando nosso relacionamento e o sentimento de pertencimento.

O sentimento gregário é da natureza humana. Infelizmente, este desejo de nos mantermos ligados a todos nos desliga de outras verdades. Acabamos sacrificando nossas próprias necessidades e desejos em nome do social; um sacrifício que, muitas vezes, pode não valer a pena.

Precisamos aprender a viver conscientemente. Um dos elementos chave para isso é exercitar a nossa “habilidade sermos honestos com aquilo que sentimos”, seja bom ou seja mau. Quando vivemos conscientemente, conseguimos ser honestos e aceitamos os sentimentos que estão nos ocorrendo, ao contrário de fazermos esforços para resistir, controlar ou mudar o que sentimos.

Viver conscientemente é estar sintonizado com você mesmo e isto envolve saber identificar quando você precisa se desviar das regras, das normas, em nome de seu próprio bem estar físico, mental e emocional. Dizendo “não”, no final de contas, estará dizendo a você mesmo que o “não” é uma opção viável.

Aqui estão cinco maneiras de arrefecer desejos íntimos de agradar aos outros e, em lugar disso, fazer o que faz você feliz.

1. Precisa de um tempo para você? Cancele o “happy hour”.

Aglomeração de gente, muita conversa e bebidas alcoólicas raramente ajudam a pessoa que já está se sentindo super “pilhada”. Se você precisa de um momento de introversão, de estar consigo mesmo, no fim de um dia de trabalho, pergunte a você mesmo – “de que realmente estou precisando?”. Se a resposta for “um pouco de paz, silêncio e ficar só”, não hesite em ir direto para casa e cancele o “happy hour”.

2. Está se sentindo fisicamente exausto? Dê a si mesmo uma noite de folga, sem nenhum compromisso.

Mesmo o mais dedicado dos atletas tem dias em que se sente incrivelmente esgotado e desgastado e nesses dias, treinos e exercícios certamente não vão ser produtivos.

Você também que trabalha duro o dia inteiro, precisa escutar seu corpo e dar-lhe tempo para se recuperar , em vez de forçá-lo a uma aula programada ou uma sessão de academia só porque é dia de ir e você nunca faltou. Mude suas prioridades e em lugar de seguir a rotina, algumas vezes, siga seus sentimentos. Descansar em casa numa noite quieta e dormir mais cedo provavelmente proporcionarão um dia seguinte muito melhor.

3. Não consegue “ouvir” seus próprios pensamentos? Crie sua “caverna”, seu refúgio.

Quando pensamentos diversos e aleatórios embaralham a cabeça dificultando sua concentração, uma das melhores recomendações é recolher-se a um espaço silencioso e relaxante que o ajude a encontrar a sensação completa de calma. Projete sua “caverna”, um cantinho dentro de sua casa com objetos simples, relaxantes e sem tecnologia (nada de notebooks, tablets, celulares e outros). Talvez você precise de um quarto. Talvez seja suficiente apenas sua poltrona favorita com um bom livro, para fugir de todos os elementos estressantes do dia a dia. Isto pode ser o melhor remédio para uma mente cansada.

4. Teve uma semana dura? Que tal uma sexta-feira à noite só para você?

Se você fica feliz só de pensar em ir para casa, deixar o mundo lá fora e apenas relaxar à noite em seu canto, então vá. Em lugar de se sentir obrigado a uma noitada num bar só porque todo mundo vai, prepare um jantar caseiro e veja algum show ou um filme favorito. Convidar alguém para desfrutar destes momentos? Você decide (e não os outros) como vai usar o tempo, ele é todo seu.

5. Não está de bom humor, não está “no clima”? Simplesmente diga “não”.

Depois de um dia de trabalho,você não precisa de nenhuma justificativa para ter uma noite só para você. A única agenda que você tem obrigação de atender é com você mesmo. Gentilmente decline de convites, mude alguns planos de semana e desfrute do seu tempo em seu espaço, na sua zona de conforto, no lugar que faz você se sentir plenamente consciente de si mesmo.

Fonte: HUFFPOST

Texto original de Alena Hall

Tradução livre de T. Mizutani
Fonte indicada: Emprego e vida

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS