Não aceite a esmola de ser a outra! Ou o outro!

A gente não constrói felicidade sobre a infelicidade alheia. Entendo que seu parceiro ou parceira, ao permanecer numa relação com a pessoa “oficial” e manter um relacionamento com você, está privando essa pessoa de ter uma vida e encontrar alguém que de fato a mereça e a valorize, tirando dela o direito de ser amada com verdade e sinceridade, como todos merecemos e tenho certeza, como você também busca ter amor.

Da mesma maneira, está tirando de você o mesmo direito de ter alguém que te ame verdadeiramente, sem máscaras, sem meias verdades ou mentiras completas, sem esconder esse sentimento. Alguém que te de uma vida de verdade, que te assuma, te leve no jantar na casa da tia-avó ou vá ao supermercado.

Por outro lado, você, se permitindo estar nessa situação (e alguns ficam nela por anos), está sendo conivente com tudo isso e está incorrendo em dois erros.

O primeiro, está colaborando para a infelicidade da pessoa “oficial” que talvez você odeie, por ser a oficial que a outra apresenta na vida dela, mas que é a pessoa mais inocente em toda essa situação.

O segundo, você está aceitando essa situação degradante, deixando de se valorizar e de se enxergar, de entender que você é capaz, inteligente, e não precisa da esmola do conforto de ser amante de alguém.

Você realmente acha que alguém que ama de verdade a outra pessoa, como você acredita ser amado (a), vai estender essa situação muitas vezes por anos, levando no banho-maria dois relacionamentos sem assumir verdadeiramente nenhum?

Se olhe no espelho! Olhe a que ponto você chegou, se humilhando, se expondo, inventando mentiras para si e para outros, mendigando o amor de alguém que não faz nada além de demonstrar que não merece você, tampouco a pessoa que leva com ela como ele como sendo a oficial.

Depois de você, outros ou outras amantes virão e, se você se tornar oficial algum dia, conseguirá conviver com o fantasma de temer que a história não se repita com você?

SE VALORIZE!

Todo mundo merece um amor de verdade e, quando a gente sofre demais, acredita que esse amor não existe. Mas existe e só não chegou até você porque você está mantendo as portas e janelas fechadas, deixando seus anos e sua vida passarem preso a um relacionamento baseado em mentiras, dor e sofrimento.

Você se apega aos momentos bons e bonitos, que são quais, exatamente? Que momentos vocês compartilham que te dão uma ideia de relacionamento verdadeiro, sincero e duradouro?

Os compartilhados na cama, não valem. Reflita na sua rotina, no seu dia a dia, naquelas pequenas coisas que constroem um dia a dia gostoso de se sentir o amor.

O todo dia, o jantar, a roupa na lavanderia, o quintal pra limpar, o cachorro pra alimentar, o dormir de conchinha TODO DIA, fazer as pazes, o café da manhã, levar as crianças na escola, agendar o dentista…

Não é com você que essa pessoa está dividindo a vida. E você merece alguém que queira uma vida com você!

Pense nisso…

Ninguém constrói felicidade em cima da infelicidade alheia. Enquanto você é instrumento para impedir a felicidade de outras pessoas, acredito, não poderá encontrar a sua. Não quando impede a felicidade de outras pessoas propositalmente.

Seja feliz… Com alguém que é verdadeiramente feliz ao seu lado e demonstre todos os dias que te merece e te quer por perto. ❤

Imagem de capa: J Walters/shutterstock

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Luciana Marques
Luciana Marques é curitibana, nascida em 1981, mãe de dois filhos, Bióloga, formada em Educação Ambiental e Gestão Empresarial, trabalha como gerente administrativa e se diverte como escritora. Escreve por amor e hobby desde pequena. Encontrou nas palavras uma maneira de transcrever os sentimentos e sua visão de mundo, às vezes de forma intensa e complexa, outras simples e em muitas, desconexas. Acha que escrever é conversar com o mundo lá fora e com seu mundo interior.