Ela foi abandonada na cadeira de rodas, mas após seu resgate esta passando seus últimos anos com muito amor

Quando chegaram, perceberam que não tinham deixado água ou comida. Ela estava completamente assustada e muito fraca.

CONTI outra

Eles encontraram Lunita sem comida e sem água. Ela estava fraca, com medo e doente. Sua nova família a fez feliz até os 11 anos de idade.

Em 2014, uma cadela com paralisia nas pernas foi abandonado na rua Zabala, em Salta, na Argentina. Em sua cadeira de rodas, ela foi acorrentada a um portão de um cabeleireiro, com um pacote de fraldas e uma nota com seu nome e idade, também explicaram no bilhete que quem a deixou lá não era seu proprietário e que não poderia mantê-la.

A funcionária do cabeleireiro que a encontrou, contatou a organização de resgate LUBA Salta e dois de seus voluntários foram em busca do cachorro. Quando chegaram, perceberam que não tinham deixado água ou comida. Ela estava completamente assustada e muito fraca.

Eles começaram a espalhar a história de Lunita e logo uma família apareceu nos Estados Unidos pronta para adotá-la. Ela viajou, mas infelizmente sua nova família não estava bem informada sobre a deficiência do cão que desenvolveu uma séria infecção por estafilococos no trato urinário, o que causou lesões e sarna.

Lunita perdeu todo o pelo, da cintura para baixo, incluindo o rabo. O sofrimento a fez perder 15 quilos, deixando-a quase desnutrida.

Felizmente, uma nova família, em outro estado, queria recebê-la para curar suas feridas e dar origem à sua recuperação. Depois de visitas intensas ao veterinário, tratamentos médicos e muito amor, Lunita recuperou 25 quilos e conseguiu se curar.

Graças a um fundo de dinheiro levantado por diferentes pessoas anônimas, eles puderam pagar os tratamentos caros. Sem a generosidade dos outros, sua recuperação teria sido impossível. E ela estava feliz com sua nova vida, cheia de carinho.

Ela conheceu a neve, os passeios, novos amigos. Até bolos e festa de aniversário, como foi o seu aniversário número 11, em 2018, que foi um evento de proporções.

No entanto, logo após esse aniversário, sua condição física se deteriorou acentuadamente e ela teve que ser internada em tratamento intensivo.

Em 8 de julho, o proprietário informou que a Lunita nos havia deixado. “Eu sinto que uma parte da minha alma morreu. Eu nunca vou esquecê-la e o quanto ela significou para mim. Ela mudou minha vida para sempre. Eu a amava muito”, escreveu ele.

Felizmente, a história de Lunita chegou ao fim por causa da velhice e a última parte de sua vida foi completamente feliz.

 

Tradução feita pela CONTI outra, do original de UPSOCL

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.