quinta-feira, 12 dezembro , 2019

Não sei quantas almas tenho, Fernando Pessoa

Não sei quantas almas tenho. Cada momento mudei. Continuamente me estranho. Nunca me vi nem achei.

Geni Guimarães: a poesia a serviço da igualdade

Mãe, mulher, negra, poetisa, defensora da mulher e dos direitos de igualdade a todos os gêneros e raças, Geni representou o Brasil indo a...

Envelhecer, por Albert Camus

Envelhecer é passar da paixão para a compaixão.

Oração do Milho, por Cora Coralina

Oração do Milho Senhor, nada valho. Sou a planta humilde dos quintais pequenos e das lavouras pobres. Meu grão, perdido por acaso, nasce e cresce na terra descuidada. Ponho folhas...

Regulamento (Aos praticantes do sonho), por Heduardo Kiesse

Seja mais sonhamor e menos sonhador (a dor não faz falta. Cria ausências)

Há quem diz que tristeza é dor

Há quem diz que tristeza é dor há quem ignore na dor a mais dolorosa tristezahá quem confunde tristeza com falta de felicidadee apesar de...

3 inspiradores poemas de Cora Coralina

Cora Coralina nasceu em 20 de agosto de 1889, e morreu na cidade de Goiânia em 10 de abril de 1985.

“Os estatutos do homem” e outros dois poemas profundamente humanistas...

O muro invisível É inútil minha palavras ultrapassarem fronteiras se eu ainda permaneço. Muro invisível existe entre o dizer e o fazer e, talvez, à sua sombra apenas envelheçamos. Jamais saberá a...

Três inesquecíveis poemas de Hilda Hilst

Dez chamamentos ao amigo Se te pareço noturna e imperfeita Olha-me de novo. Porque esta noite Olhei-me a mim, como se tu me olhasses. E era como se...

4 poemas para relembrar Paulo Leminski

Ai daqueles... ai daqueles que se amaram sem nenhuma briga aqueles que deixaram que a mágoa nova virasse a chaga antiga ai daqueles que se amaram sem saber que amar é...

Três magníficos poemas de Guimarães Rosa

Mas olhei-te bem nos olhos, belos como o veludo das lagartas verdes, e porque já houvesse lágrimas nos meus olhos, tive pena de ti, de mim, de todos, e me ri

Capulana, um lindo poema da escritora moçambicana Énia Lipanga

Capulana A semelhança dos teus traços de mamana Que coberta de uma humilde capulana Menina de cores d`Africa Onde os paços que perfumam becos Esbanjam beleza Mucume disfarçado em natureza Capulana, Enrolando...

Amor pacífico e fecundo, um poema de Rabindranath Tagore

Amor pacífico e fecundo Não quero amor que não saiba dominar-se, desse, como vinho espumante, que parte o copo e se entorna, perdido num instante.Dá-me esse amor fresco e...

“No caminho, com Maiakóvsky”, um poema assustadoramente atual

No caminho, com Maiakóvsky Tu sabes, conheces melhor do que eu a velha história. Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim. E não dizemos nada. Na...