terça-feira, 26 março , 2019

Memória de um amor que nunca foi- Mia Couto

Mia Couto nasceu em 1955, na Beira, Moçambique. É biólogo, jornalista e autor de mais de trinta livros, entre prosa e poesia. Seu romance...

A história de quando a noite reinava na Terra, por Mia...

"Antigamente, não havia senão noite e Deus pastoreava as estrelas no céu. Quando lhes dava mais alimento elas engordavam e a sua pança abarrotava...

“O melhor prêmio que tive como escritor foi-me dado por uma...

Por Mia Couto Do original:  Ensaio sobre a Convenção sobre os Direitos da Criança: Engravidar o mundo de futuro "O melhor prémio que tive enquanto escritor...

30 pérolas de Mia Couto, no livro Vozes Anoitecidas

Por Nara Rúbia Ribeiro Para que conheçamos um pouco da luminosidade da obra "Vozes Anoitecidas", de Mia Couto, colhemos e listamos aqui 30 pérolas cujo...

“A prenda”, uma história encantadora declamada por Mia Couto

A PRENDA O menino recebeu a dádiva. Era o seu dia, assim disseram. Estranhou: os outros dias não eram seus? Se achegou. Espreitou. A oferenda, era coisa nenhuma que nem...

MIUDÁDIVAS, PENSATEMPOS, por Mia Couto

MIUDÁDIVAS, PENSATEMPOS(A Manoel de Barros, ensinador de ignorâncias)Estou sem texto, enriquecido de nada. Aqui, na margem da floresta, me desbicho sem vontades para humanidades. Entendo...

“A gorda indiana”, um conto de Mia Couto

- "Quero ser como a flor que morre antes de velhecer". Assim dizia Modari, a gorda indiana. Não morreu, não envelheceu. Simplesmente, engordou ainda mais....

OS SETE SAPATOS SUJOS, por Mia Couto

Todos os dias somos confrontados com o apelo exaltante de combater a pobreza. E todos nós, de modo generoso e patriótico, queremos participar nessa batalha. Existem, no entanto, várias formas de pobreza.

O “May be man”, por Mia Couto

Por Mia Couto Existe o "Yes man". Todos sabem quem é e o mal que causa. Mas existe o May be man. E poucos sabem...

Pelo reencantamento do mundo: Mia Couto

Mia Couto, escritor moçambicano conhecido em todo o mundo, fala sobre de importância de não podarmos o encantamento, a capacidade de fascinação, de êxtase diante das pequenas coisas.

A Rosa Caramela, um conto de Mia Couto

Acendemos paixões no rastilho do próprio coração. O que amamos é sempre chuva, entre o voo da nuvem e a prisão do charco. Afinal,...

O poema que Mia Couto escreveu para Manoel de Barros

No Brasil, uma das maiores propagadoras dos textos do escritor moçambicano Mia Couto é Nara Rúbia Ribeiro. Nara, além de advogada, professora e...

“A fábula africana do macaco e do peixe”, narrada por Mia...

Um macaco passeava-se à beira de um rio, quando viu um peixe dentro de água. Como não conhecia aquele animal, pensou que estava a afogar-se. . .

Discurso proferido por Mia Couto ao receber o título Doutor “Honoris...

"Caros amigos, Irei falar sobre a erosão dos valores morais e de como pode um escritor ajudar na reabilitação do tecido moral da sociedade."