OS SETE SAPATOS SUJOS, por Mia Couto

Todos os dias somos confrontados com o apelo exaltante de combater a pobreza. E todos nós, de modo generoso e patriótico, queremos participar nessa batalha. Existem, no entanto, várias formas de pobreza.

“São demasiado pobres os nossos ricos” – por Mia Couto

"A maior desgraça de uma nação pobre é que, em vez de produzir riqueza, produz ricos. "- Mia Couto

A magia do baobá na obra de Saint Exupéry e Mia...

O baobá, também chamado de embondeiro, ou imbondeiro, talvez seja a árvore em torno da qual mais existam lendas, em todo o mundo. Árvore de idade incerta, posto que a sua madeira não possui anéis de crescimento, sua imponência, sua força, a fantasia que a envolve desafiam a imaginação humana.

Mia Couto fala de quando se “auto-batizou” Mia por viver em...

Mia Couto, escritor moçambicano, foi o Convidado de um evento do Fronteiras do Pensamento e Companhia das Letras, em agosto de 2013. Neste trecho da entrevista...

O viajante clandestino, Mia Couto

- Não é arvião. Diz-se: avião. O menino estranhou a emenda de sua mãe. Não mencionava ele uma criatura do ar? A criança tem a...

“O Perfume”, um “abensonhado” conto de Mia Couto

O Perfume - Hoje vamos ao baile! Justino assim se anunciou, estendendo em suas mãos um embrulho cor de presente. Glória, sua esposa, nem soube receber....

“A prenda”, uma história encantadora declamada por Mia Couto

A PRENDA O menino recebeu a dádiva. Era o seu dia, assim disseram. Estranhou: os outros dias não eram seus? Se achegou. Espreitou. A oferenda, era coisa nenhuma que nem...

Mia Couto: “Há quem tenha medo que o medo acabe”

A fala é de 2011, durante a Conferência do Estoril daquele ano. Em um papo sobre segurança, o escritor moçambicano Mia Couto — um dos meus preferidos e...

“A gorda indiana”, um conto de Mia Couto

- "Quero ser como a flor que morre antes de velhecer". Assim dizia Modari, a gorda indiana. Não morreu, não envelheceu. Simplesmente, engordou ainda mais....

MIA COUTO conta do dia em que foi confundido com ator...

MIA COUTO é confundido com ator de filmes de ação. " Um dia destes solicitaram-me que interviesse numa conferência internacional de telecomunicações em Maputo. O...

“O melhor prêmio que tive como escritor foi-me dado por uma...

Por Mia Couto Do original:  Ensaio sobre a Convenção sobre os Direitos da Criança: Engravidar o mundo de futuro "O melhor prémio que tive enquanto escritor...

O CEGO ESTRELINHO, um conto de Mia Couto

O cego Estrelinho era pessoa de nenhuma vez: sua história poderia ser contada e descontada não fosse seu guia, Gigito Efraim. A mão de...

Mia Couto: uma crônica sobre a cidade da Beira

Mia Couto nasceu em 1955, na Beira, Moçambique. É biólogo, jornalista e autor de mais de trinta livros, entre prosa e poesia. Seu romance Terra...

MIUDÁDIVAS, PENSATEMPOS, por Mia Couto

MIUDÁDIVAS, PENSATEMPOS(A Manoel de Barros, ensinador de ignorâncias)Estou sem texto, enriquecido de nada. Aqui, na margem da floresta, me desbicho sem vontades para humanidades. Entendo...