3 parábolas orientais que esbanjam sabedoria.

O povo oriental sempre foi conhecido por sua sabedoria, e se destaca com grande humor em suas parábolas que ficam ainda mais famosas com o passar dos anos.
Aqui estão 3 exemplos que nos transmitem a sabedoria e nos mostram finais inesperados. Desfrute:

Ponte mágica

Um camponês caminhava com seu filho. O menino narrava ao pai alguma coisa, mas também dizia mentiras. O camponês percebeu que seu filho o estava enganando e disse:
— Agora, filho, estamos chegando perto de uma ponte. Não é uma ponte comum, é mágica. Ela cai quando mentirosos a cruzam.
O filho, assustado, confessou que estava enganando o pai.
O camponês e seu filho começaram a cruzar a ponte, até que escutaram um barulho muito alto e a ponte caiu.
— Bom, te enganei — aceitou o camponês quando saíram da água pela margem do rio. As pontes mágicas não existem.

por Vicent Bourrut
por Vicent Bourrut

O professor Nasreddin e beduínos sedentos de sangue

— Quando estive em um deserto, disse uma vez o professor Nasreddin, fiz com que uma manada de beduínos sedentos de sangue saísse correndo.
— Como fez isso, professor?
— Muito fácil. Simplesmente comecei a correr e eles correram para me pegar.
899760-2-650-4ceade5ff9-1470620720

A garota do quimono de seda

Um dia, dois monges, Ganzan e Ekido iam por um caminho sujo. Chovia muito. Próximas da margem de um rio, encontraram uma garota usando um quimono de seda que não podia cruzar o rio revolto. A garota era linda.
— Vamos, disse Ganzan imediatamente. Pegou no braço dela e a levou ao outro lado.
Ekido ficou em silêncio até a noite, quando chegaram a um templo. Sem conseguir aguentar, disse:
— Nós, os monges, não devemos nos aproximar das mulheres, ainda mais tão jovens e lindas. É perigoso. Por que você fez aquilo?
— Deixei a garota lá, na outra margem do rio, respondeu Ganzan, enquanto você continua com ela nos braços.
large

Com informações de Incrível

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Ana Carolina
Ana, 15 primaveras. Ama os animais, futura viajante, ainda não sabe se gosta de frio ou calor, sonha com coisas absurdas e talvez acredite em magia. Tenta fazer uns desenhos loucos, pode também ser considerada a novinha dos colaboradores. Sobrinha da patroa.